Início Plano de Saúde Guia prático para estruturar o plano de saúde em uma empresa de...

Guia prático para estruturar o plano de saúde em uma empresa de tecnologia

Autor

Data

Categoria

O plano de saúde empresarial em uma empresa de tecnologia é um benefício essencial para aumentar indicadores positivos e reduzir os negativos.

Com assistência médica de qualidade, é natural que os funcionários se sintam acolhidos e valorizados, o que eleva a satisfação e a produtividade no trabalho.

Além disso, a iniciativa diminui os dias de afastamento e faltas (absenteísmo) decorrentes de problemas de saúde, principalmente se o convênio incluir medidas preventivas e de bem-estar.

Se está pensando em oferecer plano de saúde na sua empresa de tecnologia, vale a pena ler este artigo até o fim.

Você vai entender a importância desse benefício, quais as opções disponíveis e quais são os fatores a considerar na escolha do convênio ideal.

Vamos lá? Neste conteúdo, vamos falar sobre:

  1. A importância do plano de saúde em empresa de tecnologia
  2. Opções de plano de saúde para empresa de tecnologia
  3. Como contratar plano de saúde para profissionais de TI
  4. 6 pontos de atenção para o RH sobre o plano de saúde em empresa de tecnologia
  5. Funcionário PJ: como oferecer um plano de saúde para eles?
  6. Por que escolher a Sami como plano de saúde em empresa de tecnologia?

A importância do plano de saúde em empresa de tecnologia

O setor de tecnologia é um dos que mais crescem no país, impulsionado pela alta demanda de serviços como plataformas de compra e venda, atendimento online e solução de problemas.

Diante da pandemia do coronavírus, esses serviços, que já eram importantes, se tornaram indispensáveis para viabilizar o isolamento social, barrando as oportunidades de contágio.

O resultado foi um expressivo aumento na quantidade de organizações especializadas em hardware, software e serviços, que cresceu 25,1% de 2019 a 2020.

Segundo pesquisa realizada pela Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) em parceria com a Neoway, o Brasil conta com aproximadamente 422 mil companhias nesse segmento, com faturamento equivalente a 5,6% do PIB nacional ou R$ 426,9 bilhões.

Outro levantamento que ouviu organizações de 21 setores revela que 96% das empresas de tecnologia disponibilizam plano de saúde para seus empregados.

O que mostra a importância desse benefício na manutenção de cuidados de saúde física e mental dos colaboradores, a fim de conservar a lucratividade dos negócios.

Tanto dentro da empresa quanto no home office, os funcionários devem dispor de estações de trabalho ergonômicas, com móveis adaptados ao seu corpo e atividades, garantindo o conforto e prevenindo males como as LER/DORT.

Além do mais, é inteligente construir fluxos de trabalho eficientes e flexíveis, partindo de metas alcançáveis e um clima organizacional colaborativo.

Toda essa assistência em saúde ganha reforço com um plano empresarial de qualidade.

Opções de plano de saúde para empresa de tecnologia

Não existe um plano de saúde específico para o segmento de TI.

Porém, há opções de convênio médico empresarial modalidade coletiva, que oferecem mensalidades mais atraentes que os planos para pessoa física.

A contratação pode ser feita de duas maneiras:

  • Direto com a operadora do plano: permite maior flexibilidade nas negociações sobre carência, troca de plano, reajustes e custo do convênio
  • Por intermédio de uma administradora de benefícios: delega a tarefa de contratação, monitoramento e negociações a essa empresa especializada em benefícios corporativos. No entanto, o serviço é prestado mediante o pagamento de taxas que encarecem o preço final.

Além de empresas de todos os portes, o produto também pode ser contratado pelo microempreendedor individual (MEI) e seu funcionário, se houver.

Contanto que o empreendedor utilize seu CNPJ para fechar negócio e comprove estar em atividade por pelo menos 6 meses.

No caso das empresas, o plano pode cobrir sócios e as demais pessoas que tenham vínculo com a companhia, a exemplo de empregados, estagiários e menores-aprendizes.

Geralmente, é possível incluir dependentes para que usufruam da assistência médica.

Como contratar plano de saúde para profissionais de TI

Para contratar o melhor plano de saúde para os profissionais de TI, é necessário conhecer suas necessidades e estilo de vida, a fim de eleger quais serviços são prioritários e quais podem ser dispensados.

Afinal, a escolha deve ser pautada pelo melhor custo-benefício, dando acesso a uma assistência médica de qualidade, que atenda próximo à residência e trabalho e não prejudique o orçamento.

Pensando nisso, a gente listou as principais características dos planos de saúde para ajudar sua empresa a definir o mais adequado:

6 pontos de atenção para o RH sobre o plano de saúde em empresa de tecnologia

Agora que você está por dentro das características do plano de saúde empresarial, confira algumas dicas para selecionar o produto mais alinhado aos objetivos da companhia.

1. Perfil dos colaboradores

Muitas vezes, as organizações tomam como referência o plano de saúde mais completo que houver.

No entanto, nem sempre essa é uma escolha sábia, porque terá mensalidades mais altas devido à cobertura de serviços que podem nem ser utilizados pelos colaboradores.

Então, o caminho mais vantajoso começa ao traçar o perfil dos beneficiários do convênio e seus dependentes, se houver.

Aplique questionários junto aos empregados e considere as necessidades da posição de cada um.

Um analista que trabalha em home office estará bem atendido por um plano com assistência local, por exemplo.

Já um alto executivo que precisa se deslocar com frequência, necessita de atendimento mais amplo, como a abrangência nacional.

O orçamento disponível para ofertar o benefício também precisa ser levado em conta, pois não vale a pena comprometer o fluxo de caixa para arcar com as mensalidades da assistência médica.

2. Reputação da operadora

Antes de avaliar os planos empresariais, verifique se a operadora está regularizada no site da ANS.

Aproveite para consultar outros clientes e a reputação da empresa em sites como o Reclame Aqui.

3. Tempo de carência

Corresponde ao tempo que será preciso aguardar para que os usuários tenham acesso a todos os serviços cobertos.

Ao negociar o plano empresarial, confira se há opções para diminuir esse período, conseguindo atendimento antes dos seguintes prazos máximos:

  • Urgências (acidentes pessoais ou complicações no processo gestacional) e emergências (risco imediato à vida ou lesões irreparáveis): 24 horas
  • Partos a termo: 300 dias
  • Demais situações: 180 dias
  • Doenças e lesões preexistentes: 24 meses.

4. Vantagens na portabilidade

Uma das formas de diminuir ou eliminar a carência é a portabilidade ou troca de plano.

Muitas operadoras disponibilizam alternativas com aproveitamento do período cumprido no plano de origem da contratante.

Se estiver pensando em mudar de convênio, consulte essas opções junto à operadora de destino.

5. Modalidade de pagamento

O mais comum é que o plano seja pré-pago, usando a mensalidade para garantir a assistência nos 30 dias subsequentes.

Essa alternativa permite um maior controle dos gastos.

Contudo, existem também opções pós-pagas e até híbridas.

A coparticipação é um modelo que combina o pagamento de mensalidade acrescido de taxas por uso de cada serviço dentro do plano de saúde.

Seu custo fixo é baixo, no entanto, é preciso acompanhamento para evitar que as taxas encareçam o preço final.

Já o reembolso corresponde ao modelo pós-pago, permitindo que o usuário escolha onde será atendido, pague e, em seguida, peça o ressarcimento de uma porcentagem do valor.

6. Histórico de reajustes

Preste atenção aos reajustes anuais, que são aplicados a cada aniversário da assinatura do contrato.

Vale consultar clientes atuais da operadora para conhecer seus critérios e tradição de reajuste, a fim de ter alguma previsibilidade sobre o aumento.

Funcionário PJ: como oferecer um plano de saúde para eles?

Desde a aprovação da Lei 13.467/2017 (Reforma Trabalhista), em 2017, as empresas podem estender benefícios como plano de saúde para os parceiros que atuam como pessoa jurídica.

Dessa forma, o autônomo ou MEI ganham assistência de qualidade, enquanto a organização oferece vagas vantajosas para atrair e reter talentos.

Mas é preciso tomar alguns cuidados para evitar a caracterização de vínculo empregatício, principalmente:

  • Detalhar todas as obrigações e benefícios do parceiro PJ no contrato
  • Exigir apenas as responsabilidades descritas nesse documento, deixando o PJ livre para escolher o local e horário de trabalho
  • Não utilizar ferramentas de controle de jornada ou subordinação a lideranças, pois o PJ é um prestador de serviços, e não um funcionário.

Por que escolher a Sami como plano de saúde em empresa de tecnologia?

Com a Sami, sua empresa de tecnologia terá acesso a planos com o melhor custo-benefício.

Nossa equipe conhece bem os desafios dos profissionais de TI, afinal, somos uma healthtech que nasceu para revolucionar a oferta de cuidados de saúde.

Nossa rede credenciada reúne hospitais e laboratórios reconhecidos como Beneficência Portuguesa, Hospital Oswaldo Cruz (unidade Vergueiro), Maternidade Santa Izildinha e Labi.

Sabemos que a saúde vai além da carteirinha do convênio e, por isso, cada cliente tem seu próprio Time de Saúde, com médico e profissionais de enfermagem sempre à disposição para atender seus colaboradores sempre que eles precisarem de cuidados clínicos.

Também tem acesso à Rede de Hábitos Saudáveis para cuidar da saúde física, usando a rede de academias e aplicativos de exercícios Gympass, e da mental, com adicionais exclusivos como meditação guiada, yoga, exercícios de mindfulness e até terapia digital – tudo grátis, já incluído no plano.

Tudo isso dentro de um plano de saúde para MEI e empresas de pequeno e médio porte, a partir de R$ 172 por pessoa, nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC.

Peça já uma cotação, clicando no botão abaixo!

e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Conheça as 10 doenças respiratórias mais comuns no inverno

Tempo seco, maior tempo de permanência em lugares fechados e redução da ventilação dos ambientes – principalmente para evitar os ventos fortes...

O impacto de um bom plano de saúde na experiência do colaborador

Como você deve imaginar, a experiência do colaborador com a sua empresa impacta diretamente na produção da sua demanda. Logo, no seu...

Bronquite, sinusite e rinite: tudo sobre as “ites” do inverno

Bronquite, sinusite e rinite: essas doenças provocam inflamações em diferentes partes do sistema respiratório e podem ser causadas por vírus, bactérias ou alergias.

Gripe e resfriado: descubra a diferença entre os dois

Apesar de as duas doenças afetarem o sistema respiratório e terem forte incidência no inverno, elas possuem sintomas com intensidades diferentes. Você...

Hipertensão: as causas e consequências da pressão alta

Já pensou que, neste exato momento, o seu organismo pode estar sendo prejudicado por uma doença silenciosa? No mundo todo, cerca de...
e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero
×