Início Saúde Empreendedorismo e saúde mental: a importância de cuidar bem

Empreendedorismo e saúde mental: a importância de cuidar bem

Autor

Data

Categoria

Empreendedorismo e saúde mental têm tudo a ver quando o assunto é qualidade de vida.

Imagem de jovem empreendedora curtindo férias na praia, presente no texto da Sami que responde à pergunta: "Como empreender com qualidade de vida?"

LEIA MAIS NO BLOG DA SAMI

Como empreender com qualidade de vida?

Estudos recentes sugerem que manter a mente saudável eleva as chances de ser mais produtivo e ter sucesso diante dos desafios que todo empreendedor enfrenta.

E que o inverso também é verdadeiro, pois o sofrimento psicológico acaba afetando o desempenho em todas as áreas da vida – incluindo a profissional –, provocando perdas no aprendizado, produtividade e finanças, causando também autossabotagem.

Além de aumentar o risco de desenvolver transtornos como a ansiedade e a depressão, com impactos negativos para a qualidade de vida.

Se você anda estressado e sobrecarregado, vale a pena acompanhar este texto até o final para conferir dados, insights e dicas para empreender de um jeito saudável, sem cair na armadilha da positividade tóxica e preservando tanto o seu negócio quanto sua mente.

Neste conteúdo, vamos falar sobre:

  1. Empreendedorismo e saúde mental: você precisa ficar atento
  2. Como a saúde mental impacta no dia a dia do empreendedor?
  3. 4 fatores que afetam a saúde mental do empreendedor
  4. Quais sinais ligam o alerta do empreendedor sobre a sua saúde mental?
  5. Quais hábitos de saúde mental o empreendedor deve manter para estar bem?
  6. A Sami é o plano de saúde para empreendedores que cuida de você como um todo

Empreendedorismo e saúde mental: você precisa ficar atento

Noites mal dormidas, pressão por resultados rápidos, acúmulo de tarefas. Essas situações costumam fazer parte da aventura de empreender, em maior ou menor escala.

A gente sabe que é natural se preocupar, principalmente se você estiver começando um novo projeto ou aguardando a resposta de um cliente importante. Porém, se estender a jornada de trabalho tem levado você a uma rotina de falta de cuidados com a saúde mental e de preocupações excessivas, é preciso tomar uma atitude para virar esse jogo.

E você deve se mover logo, antes que a sobrecarga constante faça você adoecer.

Esse é o caso de cerca de 3 milhões de empreendedores brasileiros, que experimentam níveis severos de sintomas de estresse, ansiedade e depressão.

O dado é da pesquisa “Saúde mental das pessoas que empreendem no Brasil frente à pandemia da Covid-19”, conduzida em parceria pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Troposlab.

O estudo também alerta que, somando quem apresenta sintomas médios e severos de sofrimento psicológico, o número chega a 10 milhões de indivíduos ou 20% do total – já que o Brasil conta com 50 milhões de empreendedores, segundo o relatório Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2019.

Além do mais, ainda vivenciamos efeitos da pandemia pelo coronavírus, que tem agravado problemas de saúde mental por todo o mundo.

No Brasil, 15% dos empreendedores começaram a utilizar medicamentos como antidepressivos e ansiolíticos durante o período de isolamento de 2020.

Portanto, é essencial adotar uma postura preventiva e ficar de olho nos sinais de que pode ter algo errado com a saúde mental do empreendedor.

Como a saúde mental impacta no dia a dia do empreendedor?

Conforme define a Organização Mundial da Saúde (OMS):

“Saúde mental é um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade.”

Esse estado depende de manter as emoções e a rotina em equilíbrio.

Só que a vida de quem escolhe abrir o próprio negócio tende a envolver uma série de riscos, necessidade de tomar decisões rápidas e instabilidade financeira, em especial nos primeiros anos de empresa.

Essa combinação de incertezas e possíveis quedas no rendimento financeiro têm grande potencial para levar a mente ao adoecimento, colocando o empreendedor num ciclo vicioso de preocupações, ansiedade e impactos sobre a produtividade.

Lembra do estudo da UFMG e da Troposlab que citamos acima?

Ele também revelou que, quanto maior a queda da renda do negócio, mais severos são os índices de sofrimento psicológico entre os empreendedores.

Outro ponto de interesse foi demonstrar que existe relação entre incerteza e sofrimento psicológico, com aumento nos índices de estresse, ansiedade e depressão entre aqueles que consideraram o ambiente mais incerto.

Considerando as perdas na produtividade, horas e dias de trabalho por causa de problemas que afetam a mente, os números ganham ainda mais sentido. Afinal, não conseguir trabalhar por um dia implica em prejuízos como atrasos em projetos, na entrega ou distribuição de produtos, principalmente para os microempreendedores.

Para o MEI, cada serviço não executado representa redução no montante mensal porque, quando ele não trabalha, não existe uma equipe que possa cobri-lo.

4 fatores que afetam a saúde mental do empreendedor

São muitos os agravantes presentes na rotina do empreendedor, começando pela necessidade de responder às expectativas de clientes, parceiros, fornecedores e investidores.

Nesse contexto, é natural que as cobranças internas aumentem, provocando um estado de estresse permanente.

Quando não há controle desse estresse, as chances de sofrer com males psíquicos se elevam. Abaixo, trazemos 4 fatores que representam ameaças à saúde mental.

Ambiente de incertezas

Ao contrário de quem tem um emprego com carteira assinada, o empreendedor não possui garantias quanto à jornada, salário ou férias. É ele quem tem de correr atrás dos projetos, serviços e clientes para dar continuidade ao negócio.

Contudo, nem sempre o sucesso vai depender do esforço ou dedicação às entregas, sofrendo a influência de vários quesitos que estão fora da zona de controle do pequeno empresário.

Viver nesse ambiente de incertezas pode ser negativo para a saúde mental.

Jornada solitária

Geralmente, o empreendedor acaba se isolando de amigos e família para construir seu negócio, pois montar uma empresa leva tempo. Quem trabalha como MEI costuma enfrentar um cenário ainda mais desafiador, realizando as tarefas sozinho.

Tudo isso já era realidade antes da pandemia de coronavírus, mas acabou se intensificando a partir das medidas de distanciamento social necessárias para conter o avanço da doença.

O problema é que o isolamento favorece o desenvolvimento de males como a depressão.

Sobrecarga de tarefas

Tanto o MEI quanto os pequenos empresários acabam acumulando uma série de atividades, pois não dispõem de equipes ou ajuda.

Muitas vezes, passam semanas ou até meses estendendo a jornada por inúmeras horas para que consigam concluir todas essas tarefas, o que leva ao esgotamento mental.

Depois de um tempo nessa rotina estressante, tendem a se sentir desmotivados e fatigados, sem que tenham uma melhora significativa nos resultados. Na verdade, o cansaço crônico pode diminuir sua eficiência, exigindo maior tempo para a execução de tarefas simples e culminando na perda da qualidade dos serviços.

Além disso, muitos empreendedores não conhecem o seu cronotipo e tentar executar tipos de atividades no momento errado (falta de perfect timing).

Pressão e responsabilidades

Se, por um lado, existe a ideia de liberdade por ser seu próprio chefe, por outro, crescem a pressão e o peso das responsabilidades.

É preciso ter muito jogo de cintura e inteligência emocional para não se desestabilizar diante de aparentes fracassos, nem perder o foco diante dos sucessos.

Quando o negócio começa a crescer e tomar muito tempo, o empreendedor também necessita aprender a delegar para manter os cuidados com a saúde em dia.

Quais sinais ligam o alerta do empreendedor sobre a sua saúde mental?

Listamos, a seguir, sintomas de que sua saúde mental pode estar prejudicada.

Procure ajuda profissional se reparar em um ou mais desses sinais:

  • Dores de cabeça constantes
  • Cansaço crônico
  • Dificuldades para se concentrar
  • Alterações no padrão de sono – por exemplo, insônia, sono em excesso ou acordar várias vezes durante a noite
  • Falta ou excesso de apetite
  • Irritabilidade
  • Dores no corpo
  • Coceiras e alergias
  • Sensação de fracasso frequente
  • Negatividade.

Quais hábitos de saúde mental o empreendedor deve manter para estar bem?

Pode parecer complicado, mas dá para ser produtivo, conduzir sua empresa e cuidar de si mesmo.

Tudo depende daquilo que você considera prioridade, por isso, comece atribuindo o mesmo valor às atividades profissionais e de autocuidado. Assim, fica mais simples se comprometer com seu bem-estar.

Confira, agora, 6 hábitos que fazem bem para a mente.

Tenha uma alimentação balanceada

O primeiro passo é cuidar da alimentação, garantindo que seu cérebro esteja recebendo os nutrientes de que precisa. Aposte em pratos coloridos, com mais vegetais e menos itens industrializados.

Pratique atividade física

Exercícios aeróbicos como caminhada, natação e dança são uma boa pedida para se movimentar de um jeito leve e descontraído. Eles ainda proporcionam a liberação de endorfina, um hormônio relacionado à felicidade.

Durma bem

Problemas com o sono podem alterar o humor, atingir a memória e a concentração, além da sensação de fadiga. Portanto, dê valor a suas horas de sono, dormindo em média 8 horas por noite.

Curta momentos de lazer

Claro que ter o seu negócio exige dedicação, mas não deixe de lado os momentos de lazer com amigos e família.

Cultivar relacionamentos saudáveis é importante para o bem-estar mental.

Invista em autoconhecimento

Separe, também, alguns minutos diários para entrar em contato consigo por meio de exercícios, meditação, terapia etc.

Isso é fundamental para conhecer seus limites e evitar ultrapassá-los, afastando o risco de desenvolver males como o burnout.

Mantenha cuidados clínicos periódicos

De nada adianta cuidar da mente e deixar o corpo adoecer, concorda? Ambos se complementam e precisam de assistência para que funcionem bem.

Daí a necessidade de comparecer periodicamente a consultas com seu médico, fazer exames e conferir se está tudo ok. Nesse contexto, ter um plano de saúde focado em prevenção faz toda a diferença.

A Sami é o plano de saúde para empreendedores que cuida de você como um todo

Aqui na Sami, temos como missão oferecer saúde de qualidade por um preço justo.

Cada membro da Sami tem acesso ao seu próprio Time de Saúde, com médico pessoal e equipe de enfermagem que conhecem você de verdade e que fazem o cuidado coordenado da sua saúde junto com você e os especialistas necessários. Aqui cuidamos da sua saúde, não da sua doença.

Nossa rede credenciada, os Parceiros Clínicos da Sami, incluem opções de hospitais, maternidades, clínicas e laboratórios de qualidade, como Hospital Leforte, Hospital 9 de Julho, maternidades Santa Izildinha e Hospital Sepaco, laboratórios Labi, entre outros.

Por fim, sabemos que saúde é muito mais que a carteirinha do plano de saúde. Por isso, criamos a nossa Rede de Hábitos Saudáveis, com o aplicativo de academias e exercícios Gympass e outros benefícios exclusivos para a sua saúde mental e o seu bem-estar.

Tem interesse? Clique no botão abaixo e faça uma cotação.

Nossos planos são para MEI e PJ a partir de 1 pessoa nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC, com preços a partir de R$ 172 por mês por pessoa.

Ei, RH! Quer economizar até30% no plano da sua empresa?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

4 dicas para cuidar da saúde mental feminina no trabalho remoto

Dupla jornada, responsabilidades com a vida familiar e salário desigual são alguns dos motivos que levam a diagnósticos de distúrbios relacionados à...

Obesidade sem tabu ou gordofobia: tudo que precisamos saber

Em 4 de março é celebrado o dia mundial da obesidade, instituído pela OMS para conscientizar a todos sobre os riscos de...

IMC: entenda as faixas e o peso ideal

O Índice de Massa Corporal (IMC) é uma ferramenta utilizada na área da saúde para avaliar a relação entre peso e altura de uma pessoa e, assim, classificar seu estado nutricional em categorias.

Etarismo: o que é, impactos na vida do idoso e a importância da pirâmide etária

o etarismo se refere a estereótipos, preconceitos e discriminação direcionada às pessoas com base na idade que elas têm.

Pluralidade cultural: o papel do pluralismo nas empresas

A pluralidade é um tema importante nos dias atuais, onde as fronteiras entre as nações se tornam cada vez mais fluidas e o mundo cada vez mais globalizado.
Ei, RH!Já conhece o planode saúde com foco emretenção de talentos?
×