Início Saúde Autossabotagem: o que é e como controlar como empreendedor

Autossabotagem: o que é e como controlar como empreendedor

Autor

Data

Categoria

Quantas metas você planejou e não alcançou? Quantas vezes você foi dormir deixando um projeto para o dia seguinte? Descontar frustrações na comida, chegar atrasado, gastar mais do que pode ou fugir são ações que geram boicotes para nós mesmos.

A autossabotagem é comum e, muitas vezes, inconsciente. E quando falamos dela, geralmente pensamos em outras pessoas, por ser mais fácil olhar para o outro e identificar os erros que estão cometendo.

O que nos impede de seguir em frente? Como identificar e controlar esse problema? Para vencer a autossabotagem, primeiro é preciso identificá-la e entendê-la. É importante observar o que leva você a agir de tal maneira e, só assim, conseguir vencer o problema.

O boicote a si mesmo prejudica não só à sua qualidade de vida, mas pode trazer diversos malefícios aos seus empreendimentos. Pensando nisso, é mais que urgente saber lidar com o problema e vencê-lo. A grande questão é: quem se sabota na maioria das vezes não tem consciência do comportamento, e quando tem, não consegue ver a situação por completo. Como fazer nesse caso?

Imagem de jovem empreendedora curtindo férias na praia, presente no texto da Sami que responde à pergunta: "Como empreender com qualidade de vida?"

LEIA MAIS NO BLOG DA SAMI

Como empreender com qualidade de vida?

Vamos falar sobre isto neste conteúdo. Veja abaixo os pontos que vamos abordar:

  1. O que é autossabotagem?
  2. Por que a autossabotagem acontece?
  3. Como o empreendedor pode precaver-se da autossabotagem?
  4. A Sami é o plano de saúde que cuida de você por completo

O que é autossabotagem?

Contraditório, é quando nós mesmos colocamos obstáculos a mais para concluir um objetivo. Parece controverso, já que atingir uma meta só nos beneficia, mas é bastante comum. Isso é válido para planejamentos, sonhos, objetivos e planos. São comportamentos autodestrutivos e que acumulam ainda mais estresse. Além disso, podem prejudicar diversas áreas da vida.

Mas como isso? Como posso criar empecilhos para atingir um sonho que eu mesmo planejei? Nosso cérebro associa prazer e dor a uma mesma coisa. Vamos explicar: ao passo que uma meta pode trazer algo bom, também pode trazer algo que desagrada você.

A partir daí, ganhará o sentimento que mais prevalece para você, seja o prazer ou a dor. Caso seja prazeroso, realizar a meta é bem mais simples. Caso seja a dor, a fuga se torna mais previsível.

Podemos ter como exemplo a vida do empreendedor que precisa delegar funções. Ele sabe que sozinho não é possível dar conta de tudo e que, para isso, precisa abrir mão de fazer todas as tarefas do seu jeito e contratar uma equipe. Nesse caso, ganhará o sentimento mais forte para ele: o prazer de delegar ou a dor de delegar? Dependendo do estilo do empreendedor, delegar funções não é uma tarefa fácil.

Na vida pessoal, um bom exemplo pode ser usado quando um indivíduo traça a meta de emagrecer. Ele inicia toda dieta e com bastante foco. Pode contratar até um personal ou plano de academia. Mas quando chega o final de semana, come tudo aquilo que a dieta não permitia. O que você acha que pesou mais nesse caso: o prazer dos finais de semana ou a vontade de ter um corpo saudável?

A autossabotagem se torna um hábito, que são comportamentos instaurados que repetimos frequentemente e de modo natural. Como acordar e olhar o celular para atualizar as redes sociais. Quando uma atitude se torna um hábito, quer dizer que ela já se instalou no nosso inconsciente, com isso, muitas vezes o comportamento não nos chama mais atenção.

E é exatamente o que acontece com a autossabotagem. Nos atrapalhamos tanto que se tornou um hábito e não percebemos. Portanto, identificar o problema sozinho se torna mais difícil. Pedir ajuda a amigos ou família pode ser um passo importante para a sua evolução. Procurar um profissional também é uma boa saída.

Por que a autossabotagem acontece?

Existem muitos fatores por trás da autossabotagem, não se sentir merecedor de algo é um deles. Na vida adulta, temos o intuito, mesmo que inconsciente, de melhorar o que tivemos na infância. Além disso, nos baseamos nas experiências infantis que tivemos para fundamentar a nossa vida adulta.

Quando encontramos explicações ou desculpas para nos afastar de algum plano é outro boicote, mesmo que inconsciente. Dizer que não tem tempo, que depois de emagrecer faz tal coisa, que ainda não está pronto são falas comuns na autossabotagem.

Muitas vezes, empreendedores têm mais medo do sucesso do que do fracasso. Inconscientemente, o fracasso pode ser estimulado para que o indivíduo fique no mesmo padrão de seus familiares ou amigos próximos. Sabe quando você larga tudo para viver algo novo, mas isso gera críticas de pessoas ao seu redor? Pode ser um grande exemplo.

Esse processo também pode ser consequência da síndrome do impostor. O empreendedor considera que é uma fraude e que não teve participação no sucesso daquilo que construiu, o que pode desencadear processos de autossabotagem.

A autossabotagem pode estar te impedindo de alcançar o seu sucesso financeiro. Sair da zona de conforto é difícil e exige força para encarar uma nova realidade, que muitas vezes precisamos enfrentar sozinhos.

Segundo o pensador Freud, a autossabotagem é caracterizada pelas condutas que levam as pessoas ao pior ou as afastam da realização de um desejo e da oportunidade de usufruir do bem-estar. Dizer não para os desafios por medo, pode estar impedindo você de alcançar o melhor para o seu empreendimento.

Como o empreendedor pode precaver-se da autossabotagem?

O primeiro passo para precaver a autossabotagem é reconhecer o problema e se permitir buscar ajuda.

O medo de assumir novas responsabilidades, delegar funções ou sair da zona de conforto assusta, mas não pode ser o impeditivo para alcançar novas oportunidades. Quem se autossabota acaba achando, inconscientemente, que não merece ter sucesso nos próprios empreendimentos, e subestima a capacidade de liderar e lidar com os desafios do empreendedorismo.

Quando reconhecemos os nossos padrões comportamentais e temos a consciência de que ele nos traz diversos prejuízos, podemos nos precaver e projetar soluções que quebrem ou que diminuam com o tempo os hábitos que criamos. Para identificar o padrão podemos usar as duas maneiras resumidamente: procrastinação e parar de ceder aos desejos de algo.

Para se ter uma ideia, uma pesquisa realizada pela Triad Productivity Solutions, empresa especializada em produtividade, com mais de 4 mil pessoas em 22 Estados do Brasil, revelou que 97,4% dos brasileiros admitem adiar atividades ou deixá-las para última hora. Desses, 86,5% dos entrevistados afirmam que adiam tarefas por serem chatas.

Identifique o padrão de comportamento que tem atrasado você a chegar no seu objetivo. Exemplos de padrões que adotamos sem perceber: falta de tempo, impulsividade, falta de energia, medos e preguiça.

Além disso, se você é uma pessoa perfeccionista, vale entender se é isso que está fazendo você se autossabotar. Pessoas que buscam pela perfeição tendem a adiar mais as tarefas mais simples.

Outro ponto importante é parar de ceder a impulsos relacionados à autossabotagem, como: “Vou descansar agora, porque eu mereço”. Quando existe prejuízo para esse comportamento é importante ficar atento.

Por último, como resolver o problema? A solução está no equilíbrio. Aos poucos podemos nos desligar da autossabotagem e atingir os nossos objetivos. Vamos supor que o seu problema é repassar suas experiências e sabedorias para um colaborador. Podemos entender então que delegar dói.

Portanto a solução é repassar aos poucos, sentir confiança e ir seguindo. O quanto você consegue ensinar o colaborador sem se estressar? Mesmo que seja por pouco tempo, já é um início.

Não crie grandes expectativas, seja consciente e vá aos poucos. Estabelecer bons hábitos e quebrar padrões antigos de comportamentos pode ser a solução para seguir em frente sem se autossabotar. 

A Sami é o plano de saúde que cuida de você por completo

Praticar o autocuidado e cuidar da sua saúde física e mental fica mais fácil quando você tem o apoio de profissionais, certo?

Como cliente Sami, você tem esse benefício através do Time de Saúde, que está sempre à disposição. Nele, você conta com médico pessoal e time de enfermeiros que conhecem você de verdade e que atendem você sempre que você precisa, além de coordenar o cuidado com a sua saúde junto com os especialistas necessários.

Com os nossos planos, você terá acesso à Rede de Hábitos Saudáveis, com o suporte da rede de academias e wellness Gympass e de outros benefícios exclusivos, além de hospitais, laboratórios e maternidades de qualidade como Hospital Leforte, Hospital 9 de Julho, maternidades Santa Terezinha e Hospital Sepaco, laboratórios Labi, entre outros.

Tudo isso reunido em um plano de saúde com qualidade e preço justo. Se você é MEI ou PJ e está nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC, peça agora mesmo sua cotação!

Ei, RH! Quer economizar até30% no plano da sua empresa?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

4 dicas para cuidar da saúde mental feminina no trabalho remoto

Dupla jornada, responsabilidades com a vida familiar e salário desigual são alguns dos motivos que levam a diagnósticos de distúrbios relacionados à...

Obesidade sem tabu ou gordofobia: tudo que precisamos saber

Em 4 de março é celebrado o dia mundial da obesidade, instituído pela OMS para conscientizar a todos sobre os riscos de...

IMC: entenda as faixas e o peso ideal

O Índice de Massa Corporal (IMC) é uma ferramenta utilizada na área da saúde para avaliar a relação entre peso e altura de uma pessoa e, assim, classificar seu estado nutricional em categorias.

Etarismo: o que é, impactos na vida do idoso e a importância da pirâmide etária

o etarismo se refere a estereótipos, preconceitos e discriminação direcionada às pessoas com base na idade que elas têm.

Pluralidade cultural: o papel do pluralismo nas empresas

A pluralidade é um tema importante nos dias atuais, onde as fronteiras entre as nações se tornam cada vez mais fluidas e o mundo cada vez mais globalizado.
Ei, RH!Já conhece o planode saúde com foco emretenção de talentos?
×