Início Saúde Como empreender com qualidade de vida?

Como empreender com qualidade de vida?

Autor

Data

Categoria

Será que é possível conciliar empreendedorismo e qualidade de vida?

Se por um lado ser dono do próprio negócio dá mais liberdade para gerenciar as tarefas, por outro pode acabar elevando os níveis de estresse por causa das muitas responsabilidades.

Afinal, o horário de trabalho, atividades do dia e rumos do negócio ficam nas mãos do empreendedor, que precisa incluir momentos para relaxar, se divertir e cuidar da saúde numa agenda conturbada.

Foi pensando nisso que construímos este conteúdo, cheio de dicas para ajudar você na gestão do tempo. Você vai ver que não é preciso adotar uma rotina de sacrifícios para conseguir o tão sonhado equilíbrio entre a realização pessoal e um negócio de sucesso.

Boa leitura! Neste conteúdo, vamos abordar os seguintes tópicos:

  1. Empreendedorismo e qualidade de vida: como eles se relacionam?
  2. Como definir qualidade de vida para o empreendedor?
  3. Como a qualidade de vida afeta o empreendedor?
  4. Como empreender com qualidade de vida?
  5. Procurando um bom plano de saúde para empreendedores? Vem pra Sami!

Empreendedorismo e qualidade de vida: como eles se relacionam?

Você já deve ter ouvido essa história: um executivo de carreira consolidada resolve largar o emprego estável e repleto de benefícios para abrir sua própria empresa e ter mais qualidade de vida.

Assim, ele não vai mais precisar aturar os desmandos de um chefe autoritário, a pressão constante por metas inatingíveis e a competitividade exacerbada do mundo corporativo.

Deixando essa rotina estressante para trás, o executivo espera ter mais tempo para a vida pessoal e horas de lazer.

O que ele não previu foi que, ao se tornar empreendedor, teria muito mais responsabilidades quanto ao negócio e ao sustento de sua família, já que a empresa depende de suas decisões.

De repente, se sente ainda mais cobrado, porque parece que cada instante sem trabalhar é um desperdício de tempo que irá levar seu empreendimento ao fracasso.

Seguir essa linha de raciocínio vai, provavelmente, levar nosso personagem ao esgotamento e até a adoecer, sofrendo com a síndrome de burnout.

Ou com depressão e ansiedade, como alerta a pesquisa “Saúde mental das pessoas que empreendem no Brasil frente à pandemia da Covid-19”, divulgada em 2020.

Conduzido por especialistas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pela aceleradora Toposlab, o estudo mostrou que 13,8% dos empreendedores haviam recebido diagnóstico de depressão, e 50,7%, de ansiedade ao longo da vida.

A má gestão do tempo contribui para essas e outras ameaças à saúde mental do empreendedor, que acaba negligenciando medidas de autocuidado.

No entanto, a realização profissional que resulta da aventura empreendedora traz uma percepção positiva sobre o trabalho.

Segundo o estudo “A percepção de qualidade de vida no trabalho de empreendedores iniciantes no estado de São Paulo”, o grau de satisfação dos empresários ouvidos é positivo, com média acima de 50% para a maior parte das questões sobre qualidade de vida no trabalho (QVT).

Realizada pela especialista em psicodrama Mara Elaine de Castro Sampaio, a pesquisa considerou 5 dimensões para a QVT, que vamos comentar abaixo.

Como definir qualidade de vida para o empreendedor?

De acordo com a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), qualidade de vida é:

“A percepção que um indivíduo tem sobre a sua posição na vida, dentro do contexto dos sistemas de cultura e valores nos quais está inserido e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações.”

Essa percepção, no entanto, costuma ser subjetiva, porque tem significados distintos para pessoas diferentes.

Mesmo entre os empreendedores ou uma determinada classe profissional, a qualidade de vida tende a ser definida de formas diferenciadas, considerando os valores, estilo de vida e propósito de cada um.

Escolhemos tomar como referência as 5 dimensões da qualidade de vida no trabalho, vertente bastante analisada por especialistas em Recursos Humanos, Administração e áreas correlatas.

São elas:

  • Dimensão Organizacional: descreve a percepção sobre o significado do trabalho, processos e oportunidades de desenvolvimento dentro da empresa
  • Dimensão Biológica: relacionada à saúde, hábitos, características hereditárias e vulnerabilidades do corpo
  • Dimensão Psicológica: engloba a percepção de desempenho, relacionamento interpessoal e vida mental
  • Dimensão Social: se refere à integração com as pessoas dentro e fora do trabalho, bem como momentos prazerosos
  • Dimensão Percepção Pessoal: o impacto de resultados da empresa, tensão e outros aspectos que afetam o bem-estar compõem essa dimensão.

Não por acaso, o estudo sobre QVT dos empreendedores, que citamos acima, revelou alta satisfação com as dimensões organizacional e social, chegando a ultrapassar os 90%.

Já aspectos das dimensões biológica e psicológica tiveram os níveis mais baixos de satisfação, sinalizando a dificuldade para priorizar a saúde e a vida pessoal quando se está à frente de um negócio.

Como a qualidade de vida afeta o empreendedor?

A qualidade de vida afeta todos os tipos de profissionais, mas o empreendedor percebe seus impactos em maior intensidade.

Principalmente quando ele está começando a nova empresa, o que pode ser bastante solitário e exigir longas jornadas de trabalho.

Estender as atividades por 10, 12 ou até 16 horas pode parecer vantajoso nesse contexto, porém, essa rotina tem um preço alto para a saúde física e mental.

Como parece não haver horas suficientes para finalizar todas as tarefas, a saúde acaba ficando em segundo plano.

A falta de planejamento faz com que o empreendedor não mantenha uma rotina de atividade física, nem invista numa dieta balanceada.

Depois de alguns meses, esse comportamento pode resultar no aumento de peso, cansaço constante, dores de cabeça e no corpo e maior predisposição para desenvolver doenças cardiovasculares como a pressão alta.

Simultaneamente, a saúde mental sofre os efeitos adversos de noites maldormidas, pressão pelo crescimento, falta de garantias, sobrecarga, estresse crônico e isolamento social.

Se elevam, então, as chances de transtornos mentais e emocionais, como ansiedade, depressão, síndrome do pânico e burnout.

Mesmo que não chegue a adoecer, o empreendedor que não prioriza a qualidade de vida experimenta redução na produtividade, fruto da fadiga e falta de cuidados com o corpo e a mente.

Ou seja, a dedicação em excesso tem o efeito contrário ao que se espera, diminuindo a quantidade e a qualidade das entregas.

Como empreender com qualidade de vida?

Respondendo àquela questão lá do início do texto, saiba que sim, dá para ter qualidade de vida no empreendedorismo.

A palavra-chave para conciliar a rotina no seu negócio com a vida pessoal é equilíbrio, o que implica em determinar o que é prioridade para você.

Além da empresa, lembre-se de se dedicar à família, amigos e a você mesmo, cuidando do corpo e da mente.

A seguir, trazemos 5 dicas sobre como empreender com qualidade de vida.

1. Invista numa rotina saudável

Mesmo que a agenda esteja cheia, procure encaixar exercícios físicos em pelo menos três dias da semana.

Podem ser períodos de 30 a 40 minutos de caminhada, corrida, dança, natação ou outra atividade de que você goste.

O importante é se movimentar regularmente, evitando o sedentarismo.

Busque também uma alimentação nutritiva, diminuindo o consumo de itens industrializados, junk food e refrigerantes.

Embora eles deem uma sensação imediata de saciedade, possuem gordura trans, carboidratos em excesso e poucos nutrientes de que seu organismo precisa.

Além de facilitarem o ganho de peso, aumento no nível de colesterol e açúcar no sangue.

Para completar a tríade da rotina saudável, não se esqueça de dormir bem para começar o dia descansado.

Em média, é preciso repousar 8 horas por noite em um local tranquilo, escuro e arejado.

2. Planeje seu dia, mês e ano

A ausência de metas diárias, mensais e anuais tende a se converter em crises de ansiedade e acúmulo de tarefas, porque não se sabe o que precisa ser feito primeiro e qual o prazo para cada entrega.

Portanto, elabore seu plano de negócios e faça pequenos planos semanais, a fim de não se perder e não sacrificar seu bem-estar.

3. Estabeleça limites para a vida profissional

Uma das suas responsabilidades como empreendedor é determinar os limites de dedicação ao negócio.

Afinal, se pensar bem, sempre haverá tarefas a serem feitas para melhorar os resultados, mas o seu tempo é finito.

Lembre-se de que sua vida não se resume à empresa, por maior importância que ela tenha, e separe a vida pessoal da profissional.

Estabeleça metas para cada área, fazendo a gestão das finanças e atividades separadamente.

Se não, fica difícil controlar as receitas e despesas do seu empreendimento, o que vai impedir você de investir naquilo que dá mais lucro.

4. Peça ajuda

Muitas vezes, o trabalho do empreendedor é solitário – especialmente para o microempreendedor individual (MEI).

Mas não deixe que esse fato isole você dos entes queridos, pois eles podem ajudar com demandas de ordem pessoal.

O mesmo raciocínio vale para o campo profissional, ainda que você não tenha recursos para contratar um funcionário.

Se estiver sobrecarregado, peça auxílio para a sua rede de contatos e avalie a possibilidade de criar parcerias.

5. Priorize a saúde

Por mais tentador que seja postergar aquela consulta ou checkup anual, não faça isso!

Priorize a saúde para evitar que pequenos problemas se agravem e desencadeiem doenças ou eventos graves.

Procurando um bom plano de saúde para empreendedores? Vem pra Sami!

Essa dinâmica fica mais simples quando você conta com o suporte de médicos e profissionais de enfermagem para acompanhar sua condição clínica, concorda?

Como cliente Sami, você tem esse benefício através do Time de Saúde, que está sempre à disposição.

Com os nossos planos, você terá acesso à Rede de Hábitos Saudáveis, com o suporte da plataforma de saúde mental Vitalk e da rede de academias Gympass, além de hospitais, laboratórios e maternidades de qualidade como Beneficência Portuguesa, Hospital Oswaldo Cruz (unidade Vergueiro), maternidades Santa Joana e Santa Terezinha, laboratórios Labi, entre outros.

Tudo isso reunido em um plano de saúde com qualidade e preço justo. Se você é MEI ou PJ e está nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC, peça agora mesmo sua cotação!

Sami Plano de Saúde Empresarial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Plano de saúde com coparticipação vale a pena?

Avaliar se o plano de saúde com coparticipação vale a pena é um dos desafios de pessoas físicas, MEI, empresários e profissionais...

O que fazer quando o plano de saúde não cobre exame?

Muitas pessoas pagam o plano de saúde a vida inteira, porém quando mais precisam não podem contar com a cobertura da operadora....

Plano de saúde nacional vale a pena?

Na hora de selecionar o convênio médico, é normal ter dúvidas sobre o plano de saúde nacional. Com ampla...

Sobrevivi ao Covid-19. E agora?

Não sabe se tem Covid ou não? Veja este conteúdo no blog da Sami: Como saber se eu peguei Covid-19?

Estou com Covid-19. E agora?

Não sabe ainda se está com Covid-19 ou não? Veja este conteúdo do blog da Sami: Como saber se eu peguei Covid-19?...
Sami Plano de Saúde Empresarial