Início Saúde Como lidar com o estresse como empreendedor?

Como lidar com o estresse como empreendedor?

Autor

Data

Categoria

Conviver com o estresse do empreendedor não é fácil, e quando os limites são ultrapassados, essa situação tende a provocar doenças como a síndrome de burnout, depressão e ansiedade.

Mas um pouco de estresse chega a ser saudável, porque o aumento no nível de adrenalina dá aquele impulso necessário diante de dificuldades como prazos apertados e acúmulo de tarefas.

Em outras palavras, como tudo na vida, o estresse em excesso é que faz mal à saúde da mente e do corpo, aos relacionamentos e ao crescimento do negócio.

Neste artigo, a gente traz soluções para ajudar você a viver com mais equilíbrio, dosando os níveis de estresse para aproveitar apenas os efeitos positivos.

Siga com a leitura para conhecer, ainda, causas e sintomas de comprometimento do seu bem-estar, sinalizando que é hora de diminuir o ritmo e cuidar da saúde mental.

Neste conteúdo, vamos falar sobre:

  1. Estresse do empreendedor: um assunto muito sério
  2. Qual o impacto do estresse na rotina do empreendedor?
  3. O que causa estresse no empreendedor
  4. Atenção aos sintomas de estresse
  5. Como administrar o estresse como empreendedor?
  6. A Sami é o plano de saúde que cuida de você por inteiro

Estresse do empreendedor: um assunto muito sério

Apesar de muitos empreendedores compartilharem seus desafios, a visão romantizada segue em alta, construindo a ilusão de que quem resolve abrir o próprio negócio é mais resiliente do que as outras pessoas.

Mas a realidade é diferente.

Ao assumir o comando do seu negócio, o empreendedor depara com mais responsabilidades, uma vez que o bom andamento da empresa exige grande dedicação.

A pressão constante por resultados, combinada às incertezas, acaba fazendo com que ele permaneça em estado de alerta, com prejuízos para a saúde.

Nesse cenário, faz sentido deparar com dados como o da pesquisaSaúde mental das pessoas que empreendem no Brasil frente à pandemia da Covid-19“, que constatou que, no Brasil, 20% dos empreendedores vivenciam sintomas médios e severos de sofrimento psicológico, o que corresponde a 10 milhões de pessoas.

Outro estudo realizado no Fórum Empreendedoras, em 2017, mostrou que 78% das donas de negócio próprio apresentavam sintomas de estresse, sendo que 83,25% delas relataram se sentir nervosas, tensas ou preocupadas.

Considerando que o número de empreendedores brasileiros supera os 50 milhões atualmente, dá para entender por que entidades como International Stress Management Association (Isma Brasil) consideram nosso povo como um dos mais estressados do mundo.

Segundo a Isma, 70% da população brasileira economicamente ativa sofre com o estresse, convivendo com impactos como noites maldormidas, palpitações e crises de ansiedade.

Qual o impacto do estresse na rotina do empreendedor?

Antes de falar sobre o impacto, vamos voltar um passo e recordar que o estresse é uma reação natural do organismo à presença de perigo.

Ele surge a partir de um mecanismo de defesa que nasce do medo, elevando o nível de adrenalina e colocando o corpo em estado de alerta.

Foi esse mecanismo que permitiu que a humanidade sobrevivesse às ameaças desde os tempos pré-históricos, possibilitando uma fuga rápida de um predador, por exemplo, por causa dos reflexos aguçados.

O problema é que esses momentos de tensão e alerta têm um custo alto, absorvendo a energia e sendo seguidos de períodos de fadiga física e mental.

Hoje em dia, raramente precisamos usar o estresse para correr de uma fera selvagem, porém, o mecanismo vem sendo acionado diante de ameaças como o fracasso profissional.

Como essas ameaças não cessam rapidamente, o organismo se mantém em estado de alerta constante, sem parar para descansar e recuperar a energia.

O resultado costuma se expressar na queda da produtividade, problemas para se concentrar, cansaço crônico, irritabilidade e insônia.

Tudo isso afeta a vida do empreendedor, que acaba se estressando ainda mais ao perceber que não está conseguindo alcançar metas ou fazer o negócio crescer.

Se nada for feito, há risco aumentado para a síndrome de burnout, desencadeada pelo esgotamento mental.

Uma mente que não se desliga das preocupações também se torna mais propensa a sofrer com outros transtornos psíquicos, como a ansiedade, síndrome do pânico e depressão.

O empreendedor frequentemente estressado também tem mais chances de adquirir doenças como a hipertensão e eventos graves como o infarto e o acidente vascular cerebral (AVC).

O que causa estresse no empreendedor

Diversos motivos podem provocar um quadro de estresse no empreendedor, a exemplo da instabilidade de alguns mercados.

Nesse cenário, desenvolver a capacidade criativa e apostar na inovação é essencial não apenas para o sucesso, mas também para a sobrevivência do negócio.

Conheça, abaixo, outros 3 pontos que tornam o empreendedor mais propenso ao sofrimento psíquico por consequência do estresse.

1. Autocobrança excessiva

Profissionais que tenham um perfil perfeccionista podem se cobrar demais, mesmo que não tenham a própria empresa.

No entanto, a autocobrança excessiva chega a ser comum entre todos os perfis de empreendedor, pois existe a crença de que o desempenho do negócio depende apenas das atitudes de seu dono.

Essa afirmação não é totalmente verdadeira, afinal, há situações em que a empresa pode perder clientes, lucratividade e parceiros, mesmo que o empresário doe todo o seu dia para reverter o quadro.

Crises, flutuações do mercado, entrada de novos concorrentes e adaptações a normas legais são alguns fatores externos que fogem ao controle do empreendedor.

2. Jornada de trabalho estendida

Em vez de bater ponto, o pequeno empresário acaba estendendo o período de trabalho para impulsionar o negócio.

Isso porque ele é o principal responsável pelo bom funcionamento da empresa, cumprimento de prazos e fidelização de clientes.

O cenário se agrava para quem é MEI, pois o microempreendedor individual costuma realizar todas as atividades sozinho – desde as técnicas até as contábeis.

Essa sobrecarga favorece a privação de sono e o isolamento, elevando o risco de estresse crônico.

3. Falta de garantias

Ao contrário do empregado CLT, o empreendedor não tem garantia de retorno do seu investimento de tempo e dinheiro.

Assim, tende a viver estressado diante da incerteza quanto à renda mensal, que pode cair caso ele fique doente ou atrase um projeto, por exemplo.

Quem possui uma equipe tem de lidar, ainda, com a preocupação de pagar salários e benefícios aos funcionários, que também podem ser os provedores de suas famílias.

Atenção aos sintomas de estresse

Os sinais de estresse podem englobar reações físicas, mentais e emocionais leves, moderadas ou graves.

Neste espaço, listamos as mais comuns para que você fique de olho.

Se apresentar um ou mais dos sintomas a seguir, busque avaliação médica para evitar agravos à saúde:

  • Dor no peito
  • Palpitação
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares
  • Dores abdominais
  • Enjoo
  • Pressão alta
  • Aumento no nível de colesterol e/ou açúcar no sangue
  • Alergias
  • Queda de cabelo
  • Insônia e outros problemas para dormir bem
  • Irritabilidade
  • Ansiedade
  • Angústia e aperto no peito
  • Sensação de culpa.

Como administrar o estresse como empreendedor?

Agora que você já conhece os riscos de se manter em estado de alerta, veja atitudes que ajudam a prevenir os impactos negativos do estresse.

Porque, sim, é possível ter sucesso nos negócios sem sacrificar seu bem-estar.

Cultive hábitos saudáveis

Apostar numa alimentação nutritiva, atividade física e boas noites de sono é o primeiro passo para se afastar do estresse crônico.

Isso porque um estilo de vida saudável prepara corpo e mente para que se recuperem mais rápido depois de uma situação estressante.

É daí que você vai tirar energia para seguir em frente e solucionar os problemas.

Conheça seus pontos fortes e fracos

O autoconhecimento é outra dica de ouro para quem quer ter a mente mais saudável.

Sem conhecer suas forças e fraquezas, fica complicado evitar gatilhos e fontes de estresse, concorda?

Então, vale a pena se dedicar à leitura, cursos, meditação e outras atividades que aumentem sua conexão com a motivação, sonhos e propósito.

Defina e valorize suas prioridades

O trabalho será sempre uma prioridade para o empreendedor, mas não pode ser a única.

Lembre-se de que você tem família, amigos, saúde, hobbies e outros interesses que vão além da vida profissional e que têm tanta importância quanto ela.

Não abra mão dos momentos de prazer, lazer, aprendizado ou descanso para trabalhar, porque você sempre vai achar que falta fazer alguma coisa pelo seu negócio.

Delimite o tempo dedicado a cada área.

Adote uma postura otimista

Sentimentos negativos costumam acompanhar os quadros de estresse e transtornos emocionais, por isso, é inteligente evitar a negatividade.

Por mais difícil que seja, uma situação pode ser avaliada sob diversas perspectivas, então, prefira a mais otimista.

Tenha em mente que a perda de um negócio ou cliente não é o fim da linha, contudo, pode ser uma oportunidade para mudar o rumo da empresa e conquistar novos mercados.

Invista em planejamento

Muitas vezes, a gente fica ansioso e estressado por não enxergar com clareza o que precisa ser feito.

Em vez de remoer a situação atual e ficar apreensivo pelo futuro, procure se concentrar naquilo que pode ser planejado e realizado.

Tenha uma rede de apoio à saúde

Comece por uma ou mais pessoas próximas com quem possa conversar e dividir as aflições do dia a dia.

Você vai ver como tudo fica mais leve.

A Sami é o plano de saúde que cuida de você por inteiro

Também ajuda contar com assistência à saúde de qualidade e com foco preventivo, como os planos que oferecemos na Sami.

Cada membro da Sami tem acesso ao seu próprio Time de Saúde, com médico pessoal e equipe de enfermagem que conhecem você de verdade e que fazem o cuidado coordenado da sua saúde junto com você e os especialistas necessários. Aqui cuidamos da sua saúde, não da sua doença.

Nossos planos de saúde são para MEI e PJ a partir de uma pessoa, nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC, com preço a partir de R$ 172 por mês por pessoa.

Com eles, você terá acesso à Rede de Hábitos Saudáveis, com o suporte da plataforma de saúde mental Vitalk e da rede de academias Gympass, além de hospitais, laboratórios e maternidades de qualidade como Beneficência Portuguesa, Hospital Oswaldo Cruz (unidade Vergueiro), maternidades Santa Joana e Santa Terezinha, laboratórios Labi, entre outros.

Peça agora mesmo sua cotação, sem compromisso!

Sami Plano de Saúde Empresarial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Plano de saúde com coparticipação vale a pena?

Avaliar se o plano de saúde com coparticipação vale a pena é um dos desafios de pessoas físicas, MEI, empresários e profissionais...

O que fazer quando o plano de saúde não cobre exame?

Muitas pessoas pagam o plano de saúde a vida inteira, porém quando mais precisam não podem contar com a cobertura da operadora....

Plano de saúde nacional vale a pena?

Na hora de selecionar o convênio médico, é normal ter dúvidas sobre o plano de saúde nacional. Com ampla...

Sobrevivi ao Covid-19. E agora?

Não sabe se tem Covid ou não? Veja este conteúdo no blog da Sami: Como saber se eu peguei Covid-19?

Estou com Covid-19. E agora?

Não sabe ainda se está com Covid-19 ou não? Veja este conteúdo do blog da Sami: Como saber se eu peguei Covid-19?...
Sami Plano de Saúde Empresarial