Início Saúde Empreendedorismo e depressão: como prevenir e como cuidar

Empreendedorismo e depressão: como prevenir e como cuidar

Autor

Data

Categoria

A relação entre empreendedorismo e depressão vem ganhando evidência nos últimos anos.

E não é por acaso, afinal, a rotina empreendedora é cheia de altos e baixos que impactam as emoções, o que eleva o risco de desenvolver quadros depressivos.

Se não cuidar bem da saúde mental, o estresse, os desafios e as instabilidades podem acabar com a motivação e a energia de quem está à frente de um negócio, seja como MEI, micro ou pequeno empresário.

Daí a necessidade de adotar hábitos saudáveis, conviver com pessoas que te fortalecem e pedir ajuda quando se sentir sozinho. Aqui na Sami acreditamos que é possível empreender com qualidade de vida.

Imagem de jovem empreendedora curtindo férias na praia, presente no texto da Sami que responde à pergunta: "Como empreender com qualidade de vida?"

LEIA MAIS NO BLOG DA SAMI

Como empreender com qualidade de vida?

Continue lendo este artigo para saber mais sobre a depressão, como afeta a vida do empreendedor e medidas que ajudam a prevenir essa doença. Neste conteúdo, vamos falar sobre:

  1. Empreendedorismo e depressão: uma relação perigosa
  2. O que é a depressão e como ela afeta a vida de um empreendedor?
  3. Principais impactos da depressão no empreendedorismo
  4. O que o empreendedor pode fazer para prevenir a depressão?
  5. A Sami é o plano de saúde que cuida de você por completo

Empreendedorismo e depressão: uma relação perigosa

Quando pensamos em um empreendedor, logo imaginamos uma pessoa determinada, persistente e orientada a resultados, que ousou trocar uma carreira convencional de sucesso pelo sonho de ter a própria empresa.

Só que a realidade pode ser bem diferente disso.

Para se ter uma ideia, a pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor) 2020 revelou o crescimento do empreendedorismo por necessidade  – negócios abertos para sustentar o empresário e sua família depois de uma demissão ou perda na renda.

Você pode ler sobre a pesquisa nesta reportagem do site Uol.

Entre outros dados, o estudo descobriu que a porcentagem desse tipo de empresa aberta nos últimos 3 meses que o antecederam saltou de 20,3%, em 2019, para 53,4% em 2020.

Embora os números tenham sido impulsionados pela pandemia de Covid-19, que agravou os problemas econômicos no país, a tendência já era observada em edições anteriores do GEM.

Tanto que também houve uma disparada na quantidade de negócios iniciais (fundados há menos de 3 anos e meio) criados por necessidade, que passaram de 37,5%, em 2019, para 50,4% em 2020.

Nesse contexto, o empreendedor abre sua empresa não por ter vocação e, sim, porque precisa ganhar dinheiro para sobreviver, o que acaba com aquela imagem utópica de escolher se tornar o próprio chefe.

E eleva o estresse, as cobranças e a pressão por resultados rápidos.

Tudo isso prejudica a saúde mental e favorece o surgimento de males como a depressão, ansiedade, burnout e síndrome do pânico.

Divulgada em 2021, a segunda edição de um levantamento sobre empreendedorismo e saúde mental conduzido pela aceleradora de inovação Troposlab em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) demonstra esses efeitos.

O estudo foi notícia no portal Exame.

Entre os 300 participantes da pesquisa, 11% dos empreendedores foram diagnosticados com depressão em 2021.

O uso de medicamentos antidepressivos também cresceu, passando de 3% para 8% dos respondentes.

O que é a depressão e como ela afeta a vida de um empreendedor?

Depressão é um transtorno psíquico crônico provocado por desequilíbrio nas funções de neurotransmissores, que são substâncias responsáveis pela transmissão de impulsos nervosos no cérebro.

A doença se manifesta através de uma tristeza profunda, humor constantemente deprimido, falta de energia e de interesse por coisas que, antes, davam prazer.

Também é comum ter sentimentos de culpa, inutilidade, baixa autoestima e falta de perspectiva de que sua situação possa melhorar de alguma forma.

Aí está o perigo da depressão: ela causa tamanha desesperança que impede a busca por ajuda e pode se agravar, representando riscos à saúde e à integridade do paciente.

Diversas situações servem de gatilho para as crises de depressão, incluindo cenários corriqueiros na vida do empreendedor.

Negativas de investidores, oscilações no mercado e a concorrência acirrada tendem a impactar no estado emocional do pequeno empresário, contribuindo para abater sua autoestima e trazer uma sensação de incompetência e inutilidade.

Casos críticos chegam a incapacitar a vítima para o trabalho e até para as atividades mais simples.

Essa dinâmica acaba influenciando no desempenho do negócio, que tem alta dependência da performance do empreendedor, principalmente nos primeiros anos depois de sua fundação.

Principais impactos da depressão no empreendedorismo

A depressão leva a um estado de sofrimento mental que tem efeitos adversos sobre a capacidade de liderança, avaliação de riscos e cenários e outras competências essenciais para empreender com sucesso.

Memória, concentração e a visão de mundo também são impactadas, diminuindo o rendimento e imprimindo negatividade nas escolhas do empreendedor.

Nesse contexto, é crítico tratar a doença para que o pequeno empresário recupere sua perspectiva e valor, antes que o negócio tenha perdas irreparáveis e precise fechar as portas.

A seguir, conheça alguns problemas causados pela depressão no empreendedorismo.

Comprometimento na tomada de decisões

Diante de um mundo volátil e de mudanças velozes, a tomada de decisões assertivas com agilidade é uma habilidade fundamental para qualquer liderança.

O humor deprimido e a visão de mundo distorcida pela negatividade podem comprometer as análises e escolhas do empreendedor, já que as atitudes sofrem influência das emoções.

Perda ou recusa de oportunidades promissoras

Sem uma perspectiva otimista, é natural que o gestor perca oportunidades, deixando de enxergar seu potencial para impulsionar os negócios.

Faltas, atrasos e isolamento

Durante as crises, o indivíduo com depressão tende a se isolar e aumentar as ausências no trabalho.

Esse cenário representa prejuízo para a empresa, ainda que a vítima seja um trabalhador em nível operacional.

Imagine, então, quando o distúrbio afeta o CEO, que deixa de comparecer a negociações e outros compromissos importantes.

Num primeiro momento, tanto os colaboradores quanto investidores, sócios e parceiros podem ver essa postura como descaso, o que mina a imagem da empresa.

Clima organizacional ruim

Aos poucos, a ausência da principal liderança e a pressão diária no trabalho afetam a forma como os funcionários percebem o ambiente de trabalho, resultando em opiniões negativas e desestímulo.

Queda da produtividade e lucros

Os fatores acima acabam prejudicando a produtividade não apenas do empreendedor com depressão, mas também de sua equipe.

O resultado se expressa na queda das receitas, da produtividade e lucratividade.

O que o empreendedor pode fazer para prevenir a depressão?

Mesmo trabalhando em condições que favorecem o desenvolvimento de males psíquicos, é possível adaptar sua rotina para preservar a saúde mental.

Abaixo, trazemos 5 dicas certeiras que vão te ajudar a prevenir a depressão e aproveitar melhor o dia a dia como empreendedor.

Entenda que nem tudo está no seu controle

Ter metas e objetivos ambiciosos é importante para motivar a si mesmo e seu time, no entanto, eles precisam ser alcançáveis.

Mais do que isso, devem considerar os percalços que ninguém poderia imaginar, como a não aderência de um produto ao público-alvo ou a retirada de investimentos.

A saída é ter sempre um plano B para seguir em meio às dificuldades e lembrar que muitas coisas estão fora do seu controle.

Conheça suas forças e fraquezas

Autoconhecimento é a chave para conservar uma mente saudável e aberta ao novo.

Vale fazer cursos, ler, meditar, fazer terapia e qualquer outra atividade que eleve seu nível de autoconsciência.

Assim, você ressalta seus pontos fortes e ameniza as fraquezas.

Desenvolva a inteligência emocional

Uma combinação entre autoconhecimento e empatia é fundamental para adquirir a habilidade de perceber e gerir as emoções.

Trabalhando esses pontos, você terá ferramentas para lidar com as situações de forma leve, focando na sua zona de influência para melhorar a performance do negócio.

E vai ganhar resiliência para enfrentar as tempestades e se levantar depois das quedas.

Desacelere

Todos nós temos um limite que deve ser respeitado.

Ao notar que está prestes a sofrer com explosões emocionais, evite esse desgaste acionando uma válvula de escape, nem que seja por alguns minutos.

Faça uma pausa para o café, converse com seu filho, dê uma volta no parque, escute uma música relaxante ou um podcast.

Só retorne ao trabalho depois de sentir um alívio e recuperar o autocontrole.

Outra dica de ouro é separar algumas horas por semana para investir num hobby, se divertir com os amigos, fazer passeios ou até viagens curtas que ajudem a desacelerar a mente.

A Sami é o plano de saúde que cuida de você por completo

Erguer uma empresa exige horas de dedicação, trabalho aos finais de semana, feriados e até de madrugada.

Mas dá para aproveitar a flexibilidade e incluir pequenas pausas e momentos de descanso e lazer, além de espaço para cuidar da saúde física e mental.

Então, procure adotar uma dieta nutritiva, fazer atividade física regular, dormir pelo menos 7 horas por noite e manter os cuidados clínicos preventivos em dia.

Ter um plano de saúde melhora o acesso a esses cuidados, porque oferece opções de atendimento em diferentes locais, sem depender só do SUS.

Melhor ainda se o plano colocar um Time de Saúde à sua disposição, com médico e profissionais para te orientar, esclarecer dúvidas e encaminhar para consultas e exames, concorda?

Aqui na Sami, você terá isso e muito mais, em planos pensados para MEI, pequenos e médios empresários a partir de 1 pessoa, nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC, com preços a partir de R$ 172 por mês por pessoa.

Clique no botão abaixo e peça sua cotação sem compromisso.

Sami Plano de Saúde Empresarial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Onboarding: o que é e como utilizar para promover a saúde dentro do negócio

Onboarding é um termo do inglês que pode ser traduzido livremente como “embarcando”,  “entrando a bordo” ou “integração”, para aderir a um...

#CuidarDaFala: O que é capacitismo e como remover expressões capacitistas da sua fala

"Ele é maluco"; "Mas você é cego?";  "Está surda?".  São frases comuns no...

O que é a licença luto? O que o RH deve saber sobre o tema

A licença luto é o período de afastamento das atividades em que um trabalhador tem direito quando uma pessoa da família morre....

Employee experience: o que é e a importância para a saúde dos colaboradores

Employee experience é a soma das experiências de um colaborador, de acordo com a conexão que ele tem com aquela entidade, formada...

Janeiro Branco: precisamos falar de Saúde Mental

O chamado “calendário colorido da Saúde” elege meses e cores para conscientizar a população sobre questões de saúde. Algumas dessas campanhas -...
Sami Plano de Saúde Empresarial