Início Artigos Plano de saúde em São Paulo: como contratar o melhor

Plano de saúde em São Paulo: como contratar o melhor

Autor

Data

Categoria

Se você está procurando um bom plano de saúde em São Paulo, saiba que nós entendemos o quão importante é esta tomada de decisão.

Afinal, ela mexe com o bem mais importante que você e sua família ou equipe de trabalho têm: a saúde.

Além disso, requer um investimento financeiro considerável, e ninguém gosta de perder dinheiro com uma aquisição ruim, não é mesmo?

É preciso ter certeza que você está pagando pelo produto que melhor atende as necessidades e expectativas que você tem.

Dando uma olhada no mercado de planos de saúde, são muitas opções, muitas variáveis, ainda mais em São Paulo.

Então, qual será a melhor para você? Se você chegou até este texto com esta dúvida, veio ao lugar certo.

Neste artigo, vamos analisar todos os aspectos que você precisa ter em mente para fazer a escolha do melhor plano de saúde em SP com toda a certeza e segurança. Veja os tópicos que vamos abordar abaixo:

  1. Plano de saúde em SP: tudo para contratar o melhor
  2. 4 dicas para escolher seu plano de saúde em SP
  3. A Sami oferece o melhor plano de saúde em SP!

Plano de saúde em SP: tudo para contratar o melhor

Dito isso, chega de conversa e vamos direto ao ponto.

Confira abaixo quais os pontos a serem analisados na hora de escolher o melhor plano de saúde em SP.

Segmentação

Em primeiro lugar, é preciso considerar o que o plano de saúde cobre.

O termo usado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para designar isso é segmentação.

A ANS, aliás, é o órgão que regula o setor de saúde privada, por isso é importante conhecer suas regras para operadoras, administradoras, corretores e clientes.

No que diz respeito à segmentação, a ANS reconhece nada menos do que 12 tipos de cobertura diferentes, o que pode dar um nó no cérebro de quem está procurando um plano de saúde em São Paulo.

Por isso, vamos explicar brevemente o que significa cada um deles, com uma dica.

Entendendo os cinco primeiros, os demais também vão fazer sentido, pois são combinações dos anteriores:

  • Ambulatorial: cobertura mais básica, que inclui consultas e procedimentos simples, sem nenhum procedimento que demande internação
  • Hospitalar sem obstetrícia: este caso já inclui, além das consultas ambulatoriais, internações para alguns tipos de cirurgia e também atendimento de emergência, sem contemplar serviços de pré-natal, parto e apoio ao recém-nascido
  • Hospitalar com obstetrícia: se você ou algum dependente cogita engravidar no futuro, esta opção inclui todos os cuidados com gravidez e parto
  • Exclusivamente odontológico: destinada aos cuidados bucais de forma completa, com direito a consultas, exames e até urgência e emergência, mas sem outras coberturas
  • Referência: segmentação criada pela ANS para reunir serviços de ambulatório, obstétricos e hospitalares (com internação em enfermaria)
  • Ambulatorial + odontológico
  • Ambulatorial + hospitalar sem obstetrícia
  • Ambulatorial + hospitalar com obstetrícia
  • Hospitalar com obstetrícia + odontológico
  • Hospitalar sem obstetrícia + odontológico
  • Ambulatorial + hospitalar sem obstetrícia + odontológico
  • Ambulatorial + hospitalar com obstetrícia + odontológico.

Acomodação

É importante observar esse detalhe nos convênios médicos que incluem internação.

Algumas coberturas contemplam apenas internação em enfermaria, outras em apartamento, o que faz bastante diferença na estadia.

Na acomodação com apartamento, é possível receber visitas, por exemplo.

Vale cuidar também se a acomodação é privativa ou semiprivativa.

Na primeira opção, o quarto será só seu.

Na segunda, mais de um paciente dividem o mesmo apartamento.

Abrangência

Esse é um ponto de atenção para você que está procurando o plano de saúde certo em São Paulo.

A abrangência se refere até onde a cobertura daquele plano vai, geograficamente falando.

Muitos planos têm abrangência nacional ou até internacional, outros somente municipal, regional ou estadual.

Para escolher o seu plano, considere se você faz muitas viagens durante o ano ou se passa a maior parte do tempo só em São Paulo mesmo.

Rede credenciada

Aqui está outro detalhe a ser levado em conta: a rede credenciada é o conjunto de profissionais e unidades de saúde em que você pode ser atendido ao adquirir aquele plano.

Afinal, de nada adianta contratar um bom plano que só preste atendimento em um ou dois hospitais longe da sua casa, não é mesmo?

Além da disponibilidade, é recomendável verificar a reputação dos médicos e das instituições integrantes da rede credenciada.

Carência

A carência é o tempo necessário para começar a usufruir dos serviços de saúde oferecidos pelo convênio.

Principalmente para condições preexistentes, a maioria dos planos vai oferecer uma cobertura apenas temporária por um determinado prazo.

A ANS definiu os prazos máximos de carência da seguinte forma:

  • Urgências e emergências: 24 horas
  • Partos em condições normais: 300 dias
  • Demais serviços: 180 dias.

Cada plano pode oferecer prazos menores como forma de driblar a concorrência, por isso preste atenção nessa informação no momento da sua pesquisa.

Portanto, se você sofrer um acidente ou tiver qualquer problema urgente, poderá ser atendido um dia após contratar o plano, seja qual for.

Porém, em um plano que pratica as carências máximas da ANS, se já estiver grávida, não poderá fazer o parto por esse convênio, por exemplo.

Reajuste

Aqui, um ponto sempre polêmico e que requer total atenção: a atualização dos valores cobrados pelo plano.

Alguns praticam reajuste anual, outros por idade.

A idade é um fator que influencia no preço do convênio pois, teoricamente, quanto mais avançada a idade, mais a pessoa tende a precisar de atendimento.

Assim, a ANS autorizou que os planos de saúde reajustem os valores à medida que o beneficiário vai progredindo de faixa etária.

Sobre os reajustes anuais, confira o histórico de preços cobrados a cada ano pelo plano de saúde que você está cogitando contratar, para saber se tem o costume de praticar aumentos elevados.

Reembolso

Nem todos os planos de saúde são pré-pagos.

Alguns funcionam por meio de reembolso, ou seja, o cliente paga pelos serviços nas clínicas e estabelecimentos de saúde de sua preferência, e depois recebe de volta uma parte do valor investido.

Cuidado, portanto, ao examinar as regras e percentuais previstos no contrato.

Para decidir se opta por um plano neste modelo, é preciso analisar bem o custo-benefício.

Mesmo nos planos pré-pagos, é importante observar os regulamentos de reembolso quando você precisar pagar algo na frente por motivos de tempo de espera muito longo, indisponibilidade do serviço em uma unidade da rede credenciada, entre outros.

Coparticipação

Além da situação do reembolso, alguns planos podem incluir coparticipações.

Essa modalidade é muito usada em planos de saúde disponibilizados por empresas aos funcionários, mas também pode ser verificada em planos particulares.

Nesse caso, o preço mensal costuma ser mais barato, porém, é importante observar os custos cobrados a cada utilização, como consultas, exames, atendimentos de urgência, etc.

Regras de cancelamento

Na hora de contratar um plano de saúde, considere a vigência da cobertura e as regras de cancelamento.

Em alguns contratos, está prevista uma multa para cancelamento antes do final do período.

Além disso, confira qual é o procedimento necessário para fazer o cancelamento.

Status da operadora

Além de tudo que já listamos, é importante verificar o status da empresa operadora do plano de saúde e conferir se ela está registrada na ANS.

4 dicas para escolher seu plano de saúde em SP

Agora que você já sabe o que precisa ser analisado na hora de escolher o melhor plano de saúde, vamos condensar tudo isso em quatro dicas valiosas.

Lembre-se que, como em qualquer outra aquisição, ao procurar convênio de saúde, estamos em busca do melhor custo-benefício.

Confira:

  1. Conheça seu perfil: para começo de conversa, é indispensável ter bem claro quais são as suas necessidades, abrangência, se quer incluir dependentes ou não, além do orçamento disponível, é claro
  2. Escolha a melhor modalidade: planos individuais, familiares, empresariais, coletivos por adesão, qual é o contexto da contratação?
  3. Busque operadoras em São Paulo que atendam bem: não se engane com as propagandas mais chiques de planos de saúde famosos que operam em todo o Brasil, pois o melhor custo-benefício costuma estar nas opções mais perto de casa
  4. Selecione e compare os planos de saúde: após encontrar as opções mais interessantes, coloque lado a lado custos, abrangência, segmentação… A ANS disponibiliza uma ferramenta de comparação online).

A Sami oferece o melhor plano de saúde em SP!

Baseado em tudo que foi falado até agora, aqui vai uma indicação certeira para quem procura o melhor plano de saúde em São Paulo e região.

A Sami é uma plataforma de saúde com a missão de oferecer saúde de qualidade por um preço justo!

Oferecemos planos para MEI e empresas de pequeno e médio porte a partir de R$ 172 por pessoa nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC.

Nossa rede credenciada conta com algumas das melhores instituições de saúde na capital paulista, como Hospital Leforte, Hospital 9 de Julho, maternidades Santa Izildinha e Hospital Sepaco, laboratórios Labi, entre outros.

Cada membro da Sami conta com seu Time de Saúde, com médico pessoal e time de enfermagem que cuidam de você sempre que necessário e encaminha para especialistas quando você precisa.

Somos uma healthtech, ou seja, uma startup com base tecnológica focada em saúde.

Portanto, somos nativos do ambiente digital e operamos pela internet, com todas as facilidades que isso representa.

Além das coberturas, criamos a Rede de Hábitos Saudáveis, com o aplicativo de academias e exercícios Wellhub (antigo Gympass) e adicionais exclusivos como meditação guiada, yoga, exercícios de mindfulness e até terapia digital – tudo grátis, já incluído no plano. Já está claro qual é a melhor opção, não é verdade?

Ei, RH! Quer economizar até30% no plano da sua empresa?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

4 dicas para cuidar da saúde mental feminina no trabalho remoto

Dupla jornada, responsabilidades com a vida familiar e salário desigual são alguns dos motivos que levam a diagnósticos de distúrbios relacionados à...

Obesidade sem tabu ou gordofobia: tudo que precisamos saber

Em 4 de março é celebrado o dia mundial da obesidade, instituído pela OMS para conscientizar a todos sobre os riscos de...

IMC: entenda as faixas e o peso ideal

O Índice de Massa Corporal (IMC) é uma ferramenta utilizada na área da saúde para avaliar a relação entre peso e altura de uma pessoa e, assim, classificar seu estado nutricional em categorias.

Etarismo: o que é, impactos na vida do idoso e a importância da pirâmide etária

o etarismo se refere a estereótipos, preconceitos e discriminação direcionada às pessoas com base na idade que elas têm.

Pluralidade cultural: o papel do pluralismo nas empresas

A pluralidade é um tema importante nos dias atuais, onde as fronteiras entre as nações se tornam cada vez mais fluidas e o mundo cada vez mais globalizado.
Ei, RH!Já conhece o planode saúde com foco emretenção de talentos?
×