Início Plano de Saúde O que é fator moderador de plano de saúde?

O que é fator moderador de plano de saúde?

Autor

Data

Categoria

Se você está pensando em contratar um plano de saúde, já deve ter se deparado com o termo fator moderador. Essa expressão está cada vez mais presente no dia a dia de quem tem buscado uma alternativa segura nos planos privados. Mas, antes de contratar qualquer plano, é fundamental estar atento aos detalhes, e um deles é o fator moderador.

Continue a leitura para entender o que esse termo significa e como ele pode ser determinante na sua escolha. Neste conteúdo, vamos falar sobre:

  1. Mas afinal, o que é fator moderador?
  2. Quais são os tipos de fator moderador de plano de saúde? 
  3. Qual é o objetivo do fator moderador de plano de saúde? 
  4. Benefícios de adquirir a modalidade de fator moderado de plano de saúde
  5. O que diz a ANS sobre o fator moderador? 
  6. Procurando um bom plano de saúde? Vem pra Sami!

Mas afinal, o que é fator moderador?

O fator moderador de plano de saúde é uma contribuição financeira que o beneficiário paga para a operadora ou prestador de serviços, referente às despesas que o plano de saúde possui. Esse valor é cobrado de acordo com a quantidade de consultas ou exames que o paciente faz ao longo do tempo. Esse tipo de cobrança vem como uma alternativa para atender melhor as operadoras e também os beneficiários do plano, pois reduz investimentos do contratante.

O fator moderador funciona assim: o paciente paga uma mensalidade fixa, geralmente mais baixa do que os planos usuais. Porém, em cada utilização dos serviços que precisar, como consultas e exames, paga uma contribuição adicional. Assim, o valor final do plano varia de acordo com o que o contratante usou. 

Quais são os tipos de fator moderador de plano de saúde? 

Agora que você já entendeu o que é fator moderador de plano de saúde, é a hora de entender as variações, que se diferenciam exatamente pela forma de cobrança. Existem dois tipos: 

  • Coparticipação: quando o valor é pago diretamente à operadora do plano de saúde; 
  • Franquia: quando o valor é pago diretamente ao prestador do serviço médico, como clínicas e consultórios. 

Qual é o objetivo do fator moderador de plano de saúde? 

  1. Evitar abusos

Um dos objetivos do fator moderador é evitar abusos, não só do usuário do plano – que pode fazer uso indevido e sem critérios dos serviços de saúde – mas também das empresas seguradoras, que podem cobrar mensalidades com preços injustos. Esse é, inclusive, o porquê do termo “moderador”, pois esse tipo de cobrança busca equalizar os gastos e despesas de ambos os lados. 

  1. Acessibilidade financeira

Outra função desse tipo de modalidade é tornar o plano de saúde mais acessível para a população, especialmente a de baixa renda, pois oferece mensalidades com valores reduzidos em comparação com as mensalidades fixas. É uma forma que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) encontrou para reduzir custos para as operadoras, viabilizando que uma parcela maior da população adquira os planos de saúde. 

Em alguns casos, mesmo que você consiga arcar com os custos de um plano com mensalidade fixa, contar com o fator moderador para ajustar o valor pode ser benéfico. Por exemplo, se você for um jovem saudável, que precisa de pouco atendimento médico e realiza apenas exames de checkup anualmente, o fator moderador pode tornar o plano mais econômico. 

Entretanto, no caso de idosos, que costumam acionar serviços de saúde com mais frequência, ou pessoas com doenças crônicas e mais graves que precisam de acompanhamento profissional constante, esse tipo de cobrança não costuma ser vantajoso. 

Benefícios de adquirir a modalidade de fator moderado de plano de saúde

O fator moderador de plano de saúde possui algumas vantagens importantes para se considerar na hora de fechar o melhor pacote para você. Veja: 

  • Mensalidades mais baratas, que variam de acordo com a utilização dos serviços médicos; 
  • Só se paga valores mais altos quando os serviços são utilizados
  • Para os planos de empresas, ajuda a controlar a sinistralidade do contrato, que é a relação entre o número de procedimentos acessados pelo beneficiário e o valor pago pela empresa para o plano de saúde.

Porém, é importante também que o beneficiário entenda quais são as desvantagens dessa modalidade. Confira: 

  • O beneficiário deverá estar atento aos serviços que usa, pois terá que se planejar para pagar por eles;
  • Quando feito sem planejamento, o uso do plano de saúde pode ultrapassar o orçamento. 

O que diz a ANS sobre o fator moderador? 

A ANS deixa sob responsabilidade das operadoras de saúde a definição de como serão as normas, porcentagens e limitações para as coparticipações. Em junho de 2018, a Agência lançou a normativa 433, que estabelecia o limite de 40% para o pagamento de valores de franquia e coparticipação e 60% para planos corporativos. Entretanto, por ser considerada abusiva, a normativa foi revogada em setembro de 2018. 

A ANS deve trazer esse assunto para o debate, aproximando também a sociedade e entidades interessadas, para que as decisões tomadas sejam adequadas e justas para todos os envolvidos. A Agência busca formas de dar mais previsibilidade financeira para quem adquire plano de saúde, porém ainda é necessário novos estudos e meios para garantir a segurança e amparo para todos os beneficiários. 

Por fim, é fundamental que você contrate planos de saúde estudando detalhadamente as regras e limites para coparticipação. Esteja atento a todas as normas que envolvem o contrato de plano de saúde e aproveite-o da melhor forma.

Procurando um bom plano de saúde? Vem pra Sami!

Surgimos para mostrar que é possível ter acesso a uma saúde mais justa, acessível e com foco no que realmente importa: o seu bem-estar e a sua qualidade de vida.

Cada membro da Sami tem acesso ao seu próprio Time de Saúde, com médico pessoal e equipe de enfermagem que conhecem você de verdade e que fazem o cuidado coordenado da sua saúde junto com você e os especialistas necessários. Aqui cuidamos da sua saúde, não da sua doença.

Nossa rede credenciada, os Parceiros Clínicos da Sami, incluem opções de hospitais, maternidades, clínicas e laboratórios de qualidade, como Beneficência Portuguesa, Hospital Oswaldo Cruz (unidade Vergueiro), maternidades Santa Joana e Santa Izildinha, laboratórios Labi, clínicas DaVita, entre outros.

Por fim, sabemos que saúde é muito mais que a carteirinha do plano de saúde. Por isso, criamos a nossa Rede de Hábitos Saudáveis, com o aplicativo de academias e exercícios Gympass e o aplicativo de saúde mental Vitalk.

Tem interesse? Clique no botão abaixo e faça uma cotação. Nossos planos são para MEI e PJ a partir de 1 pessoa nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC, com preços a partir de R$ 172 por mês por pessoa.

Referências

Sami Plano de Saúde Empresarial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Onboarding: o que é e como utilizar para promover a saúde dentro do negócio

Onboarding é um termo do inglês que pode ser traduzido livremente como “embarcando”,  “entrando a bordo” ou “integração”, para aderir a um...

#CuidarDaFala: O que é capacitismo e como remover expressões capacitistas da sua fala

"Ele é maluco"; "Mas você é cego?";  "Está surda?".  São frases comuns no...

O que é a licença luto? O que o RH deve saber sobre o tema

A licença luto é o período de afastamento das atividades em que um trabalhador tem direito quando uma pessoa da família morre....

Employee experience: o que é e a importância para a saúde dos colaboradores

Employee experience é a soma das experiências de um colaborador, de acordo com a conexão que ele tem com aquela entidade, formada...

Janeiro Branco: precisamos falar de Saúde Mental

O chamado “calendário colorido da Saúde” elege meses e cores para conscientizar a população sobre questões de saúde. Algumas dessas campanhas -...
Sami Plano de Saúde Empresarial