Início Bem-Estar Bronquite, sinusite e rinite: tudo sobre as "ites" do inverno

Bronquite, sinusite e rinite: tudo sobre as “ites” do inverno

Autor

Data

Categoria

Com a chegada da estação mais fria do ano, você costuma ficar com nariz escorrendo sem parar, tosse chata e persistente, ou secreção de cor amarelada? Se sim, há grandes chances de ter alguma das “ites” do inverno – bronquite, sinusite e rinite. O termo “ite” é usado para indicar uma inflamação. No caso dessas doenças, nos brônquios, nos seios da face e na mucosa nasal, respectivamente.

As três acabam sendo mais frequentes no inverno devido às mudanças bruscas de temperatura e a baixa umidade do ar, que favorece a disseminação dos agentes causadores do processo inflamatório. Para entender melhor como elas afetam o organismo e o que fazer para preveni-las, confira os tópicos abaixo:

  1. O que é bronquite?
  2. O que é sinusite?
  3. O que é rinite?
  4. Como diferenciar as três?
  5. Como prevenir crises de bronquite, sinusite e rinite no inverno?
Mulher assoando o nariz com um lenço
Bronquite, sinusite, rinite: vírus, bactérias e alergias podem ser as causas / COTTONBRO/PEXELS

O que é bronquite?

A bronquite é uma inflamação dos brônquios, as vias aéreas dos pulmões. As paredes dessas estruturas, responsáveis por levar o ar para o pulmão, produzem muco naturalmente, a fim de reter partículas que poderiam causar irritação no órgão. O problema é que, quando ocorre essa inflamação, a produção do muco aumenta e o corpo precisa expelí-lo de alguma forma – e isso ocorre, geralmente, através da tosse. O processo inflamatório também pode dificultar a respiração.

Existem dois tipos de bronquite: a aguda e a crônica. A bronquite aguda é a mais comum, causada, principalmente, por infecções virais, como gripe e resfriados – por isso, é mais frequente no inverno. Além disso, a inflamação é temporária, com duração média de uma semana a 10 dias; mas a tosse pode persistir por mais tempo.

Já a bronquite crônica é caracterizada por um processo inflamatório constante, com duração de meses ou até anos. Ela pode ser causada por agentes alérgicos ou, de acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos, dos Estados Unidos, por refluxo gástrico ou tabagismo – fumo direto ou passivo. Esse tipo de bronquite também pode ser um reflexo da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) .

Quais são os sintomas de bronquite?

Os sintomas principais, tanto da bronquite aguda quanto da crônica, são:

  • Tosse com muco;
  • Falta de ar;
  • Chiado e desconforto no peito;
  • Febre baixa;
  • Cansaço.

A tosse costuma ser o sintoma mais duradouro, permanecendo por até três semanas. A bronquite crônica ainda pode causar inchaço nos pés, tornozelos e pernas, além de deixar a pessoa mais suscetível a contrair infecções respiratórias.

Como tratar bronquite?

O tratamento consiste em aliviar os sintomas. Para a bronquite aguda, o uso de anti-inflamatórios, a ingestão de água e a umidificação do ar – para melhorar a respiração – já são suficientes. Se a causa for alguma infecção bacteriana, há chances do médico prescrever antibióticos. 

Quanto à bronquite crônica, pode ser necessário o uso de medicamentos que ajudam a abrir as vias aéreas e eliminar o muco, como os broncodilatadores e os esteróides. Eles entram em contato com o organismo através da inalação ou por comprimidos. Em alguns casos, também há indicação de oxigenoterapia, para melhorar a respiração.

Se a pessoa for fumante, o ideal é parar com o uso de cigarros imediatamente. E não se esqueça: sempre consulte um médico antes de iniciar qualquer tratamento medicamentoso. 

Gripe e resfriado: descubra a diferença entre os dois

Time de Saúde: saiba o que é e qual a importância dele para você

O que é sinusite?

A sinusite é uma inflamação que acomete as mucosas dos seios da face, ou seja, ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos. Ela é causada por vírus, bactérias, alergias ou alterações anatômicas na região, como o crescimento dos pólipos nasais (popularmente conhecidos como carne esponjosa). 

Essas condições provocam um acúmulo de secreção e favorecem a instalação e proliferação de germes – dando início ao processo inflamatório. De acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos, dos Estados Unidos, o sistema imunológico enfraquecido e o tabagismo também podem contribuir para o surgimento da sinusite.

Há dois tipos de sinusite: a aguda e a crônica. A principal diferença entre elas está na duração dos sintomas. Enquanto na aguda eles costumam passar em dias ou, no máximo, após quatro semanas; na crônica eles persistem por mais de 12 semanas consecutivas – podendo surgir quatro vezes ou mais ao longo do ano. 

Quais são os sintomas de sinusite?

Os sintomas da sinusite aguda e crônica são os mesmos, e incluem:

  • Coriza;
  • Obstrução nasal com secreção amarela ou esverdeada;
  • Dor forte ou pressão no rosto;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de garganta;
  • Febre;
  • Tosse;
  • Redução ou perda do olfato;
  • Perda de apetite;
  • Mau hálito.

A tosse costuma piorar durante a noite. Isso porque, ao deitar, a secreção acaba escorrendo para a parte posterior dos seios da face, o que pode irritar as vias aéreas. Se a febre durar mais de 2 dias, as dores de cabeça e facial ficarem intensas ou os sintomas, de modo geral, piorarem depois de melhorar, é importante consultar um médico. 

Como tratar sinusite?

Existem algumas atitudes caseiras que ajudam a aliviar os sintomas, como colocar compressa de água quente em cima do rosto, principalmente do nariz e da testa, para aliviar a pressão facial, ou respirar o vapor da água quente, em uma tigela ou do chuveiro, para reduzir a congestão nasal.

Além dessas ações, é possível amenizar os sintomas com uso de soluções fisiológicas (para lavagem nasal), corticosteróides e, em último caso, antibióticos – sob prescrição médica. Se a causa da sinusite for alterações anatômicas, o tratamento também pode envolver cirurgia de remoção da carne esponjosa. 

Ansiedade: entenda o que é, sintomas e tratamento

Saiba o que é a Rede de Hábitos Saudáveis da Sami

O que é rinite?

A rinite é uma inflamação ou irritação da mucosa nasal. Existem dois tipos principais de rinite: a de curta duração (aguda) e a de longa duração. A última opção, por sua vez, costuma possuir quatro subtipos:

  • Rinite infecciosa – faz parte da síndrome do resfriado comum e é causada por vírus ou bactérias, que provocam infecção do trato respiratório.
  • Rinite alérgica – surge a partir de uma reação imunológica do organismo à exposição de fatores alérgenos (como poeira, ácaros, pelos de animais, restos de insetos, fungos, etc.) transportados pelo ar ou mudanças de temperatura e umidade.
  • Rinite crônica – forma mais grave da rinite alérgica, com crises alérgicas intensas e que duram meses consecutivos.
  • Rinite não alérgica – apesar de ter sintomas parecidos com o da rinite alérgica, esse subtipo não envolve o sistema imunológico na reação.

De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, se você tem rinite alérgica, provavelmente já nasceu predisposto a se sensibilizar com determinado fator alérgeno. Isso porque, ainda segundo a associação, filhos de pais alérgicos têm 50% de chance de também apresentarem o quadro. 

Mas a genética não é a única responsável por deixar as pessoas mais suscetíveis à rinite. Alterações anatômicas (como desvio de septo), tabagismo, mudanças bruscas de temperatura, exposição a mofo ou poluentes e histórico de outras doenças alérgicas também são fatores de risco.

Quais são os sintomas de rinite?

Os principais sintomas de rinite são:

  • Obstrução nasal;
  • Coriza excessiva;
  • Espirros constantes;
  • Coceira nasal.

A rinite alérgica ainda pode causar coceira nos olhos. Já a rinite infecciosa pode ser acompanhada por febre e mal-estar. De modo geral, os sintomas da rinite aguda podem durar de 7 a 10 dias. Já na rinite de longa duração, eles continuam por mais de 3 meses.

Como tratar rinite?

O tratamento da rinite também é focado nos sintomas. De acordo com o Ministério da Saúde, é possível tratar com anti-histamínico oral ou corticosteróide nasal. Lavagem nasal com soro fisiológico também é benéfica. Mas, para que os medicamentos tenham efeito, no caso da rinite alérgica, é importante identificar o fator desencadeador da alergia e removê-lo do ambiente. 

Meditação: O que é, tipos e benefícios

Por que você está pensando errado sobre a rede credenciada do seu plano

Como diferenciar as três “ites”?

As três causam inflamação em alguma parte do sistema respiratório e podem ser desencadeadas por vírus, bactérias ou alergias. Então, como identificar quando é bronquite, sinusite ou rinite? Pode até parecer complicado, mas não é. O segredo é ficar atento aos sinais e as partes do corpo mais afetadas.

Se os sintomas mais fortes forem a tosse com muco e o peito com chiado, há grandes chances de ser bronquite. Já se o incômodo maior for a pressão no rosto e a secreção amarelada ou esverdeada, pode ser sinusite. Agora, se espirros incessantes e coriza excessiva começarem repentinamente, é sinal de rinite.

É preciso, porém, ficar atento à combinação desses sintomas, pois as três doenças podem se manifestar simultaneamente.

Como prevenir crises de bronquite, sinusite e rinite no inverno?

Por terem causas parecidas, as formas de prevenção das doenças também são bastante similares. A primeira é proteger o organismo dos agentes causadores. No caso dos vírus e bactérias, higienizar as mãos frequentemente e evitar ambientes lotados já reduz as chances de contraí-los.

Quando a causa for alérgica, é importante manter os ambientes limpos (livres de poeiras, pelos de animais, ácaros ou restos de descamação de pele e de insetos) e evitar mudanças bruscas de temperatura e umidade do ar. 

Evitar o uso constante de ar condicionado também é essencial. Afinal, pode ressecar as mucosas, atrapalhar a drenagem de secreção e ainda disseminar agentes infecciosos com maior facilidade.

A amamentação também tem um papel importante na prevenção, especialmente de doenças alérgicas. Um estudo publicado na Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar observou que o leite materno ajuda a proteger as crianças da rinite alérgica até os 5 anos de idade.

E, claro, não pode faltar o fortalecimento do sistema imunológico, que ajuda tanto na prevenção quanto na recuperação mais rápida dos sintomas. A receita para ter um sistema imune forte e saudável é combinar alimentação balanceada, prática regular de exercícios físicos e cuidados com a saúde mental. 

e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Conheça as 10 doenças respiratórias mais comuns no inverno

Tempo seco, maior tempo de permanência em lugares fechados e redução da ventilação dos ambientes – principalmente para evitar os ventos fortes...

O impacto de um bom plano de saúde na experiência do colaborador

Como você deve imaginar, a experiência do colaborador com a sua empresa impacta diretamente na produção da sua demanda. Logo, no seu...

Bronquite, sinusite e rinite: tudo sobre as “ites” do inverno

Bronquite, sinusite e rinite: essas doenças provocam inflamações em diferentes partes do sistema respiratório e podem ser causadas por vírus, bactérias ou alergias.

Gripe e resfriado: descubra a diferença entre os dois

Apesar de as duas doenças afetarem o sistema respiratório e terem forte incidência no inverno, elas possuem sintomas com intensidades diferentes. Você...

Hipertensão: as causas e consequências da pressão alta

Já pensou que, neste exato momento, o seu organismo pode estar sendo prejudicado por uma doença silenciosa? No mundo todo, cerca de...
e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero
×