Início Saúde Meditação: O que é, tipos e benefícios

Meditação: O que é, tipos e benefícios

Autor

Data

Categoria

Compromissos. Trânsito. Trabalho. Barulho. Mensagens não lidas. E-mails para responder. Parece impossível encontrarmos um pouquinho de paz para organizar a mente diante de tanta informação. Se é desse respiro que a sua cabeça precisa, a meditação é uma boa ideia.

A busca por bem-estar e qualidade de vida é um processo constante. É impossível ser “zen” do dia para a noite, mas dá para começar a caminhar nessa trajetória. Clicar neste texto já é o primeiro passo 🙂 

Neste artigo você vai conhecer os tipos de meditação, os benefícios da meditação para a saúde física e mental e até dicas de como começar a meditar.  Vamos abordar os seguintes tópicos:

  1. O que é meditação?
  2. Quais os tipos de meditação?
  3. Meditação faz bem? Quais os benefícios da prática?
  4. Meditação ajuda no controle da ansiedade?
  5. Meditação ajuda a dormir melhor?
  6. Como começar a fazer meditação?

O que é meditação?

A meditação nada mais é do que um treino para vigiar os pensamentos. O que isso quer dizer? A mente está em movimento o tempo inteiro e, se não tomarmos cuidado, vai para bem longe e se distancia do presente. Daí surge o perigo clássico de nos concentrarmos nas preocupações com o futuro e nos arrependimentos com o passado.

Estar em estado meditativo permite que você foque no presente e nas sensações daquele exato momento, sem deixar que a mente divague para outras direções. É um treino constante e que exige disciplina.

E não é de hoje que o ser humano se deu conta de que precisa ter mais cuidado com a mente. A meditação é uma prática milenar, com origem em religiões como o budismo, o hinduísmo e até o cristianismo. Com o avanço científico, pesquisas têm comprovado os benefícios e a prática tem sido recomendada na busca por qualidade de vida e até no tratamento de doenças.

Quais os tipos de meditação?

Como a meditação tem raízes em muitas culturas, também existem muitos tipos de meditação que você pode testar, conforme sua rotina e preferências.

Mindfulness: a premissa é levar o estado meditativo para além daquela pose tradicional, sentado e de olhos fechados. A ideia do mindfulness é estar com a atenção plena – sem distrações ou pensamentos paralelos – em qualquer atividade do dia a dia, como ao focar no caminho para o trabalho ou preparar o jantar.

Meditação espiritual: é quando o estado de contemplação envolve crenças e fé, com variações que dependem do tipo de credo. Caso você siga alguma religião, pode pesquisar qual é a prática meditativa que corresponde aos dogmas nos quais acredita.

Yoga: muitos estudiosos colocam o yoga como um tipo de meditação. Isso porque essa prática milenar sugere que, a cada posição que você coloca o seu corpo (os chamados “ásanas”), a atenção deve ser plena nas sensações despertadas por aquela determinada postura. O objetivo é estimular benefícios emocionais por meio das posições físicas.

Meditação Hoponopono: baseada em uma antiga prática havaiana, essa meditação tem como base o aprendizado da cura por meio da aceitação e da responsabilidade. A ideia central é perdoar e curar mágoas do passado e praticar a gratidão por meio de frases como “eu me perdoo”, “eu sou grato”, entre outras que vão nortear o seu tempo de meditação.

Meditação dinâmica: muitas práticas ocidentais misturam meditação a elementos como dança e corrida. A meta é aplicar o estado meditativo em exercícios de movimento, sem que a atenção plena se perca. Se você é do tipo que prefere mais dinamismo, talvez esse tipo de meditação seja uma boa ideia para incluir na rotina.

Meditação guiada: é uma prática meditativa conduzida por um instrutor. Pode ser realizada em grupos, individualmente ou até online. Já existem sites e aplicativos disponíveis para ajudar quem pretende meditar, mas tem dificuldade em se concentrar sozinho.

Meditação faz bem? Quais os benefícios da prática?

Tornar a meditação um hábito diário traz benefícios para a saúde física e mental. Para começar, a prática tem impacto em coisas básicas do dia a dia. Quando você decide se alimentar com atenção plena em vez de ficar zapeando nas redes sociais enquanto devora um prato de comida, isso vai fazer bem para a sua digestão. 

Cientistas das Universidades de Clemson e da Geórgia, ambas nos Estados Unidos, concluíram que a meditação pode ajudar na diminuição da pressão sanguínea e, consequentemente, no risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

É que, ao respirar calmamente, todos os processos do nosso organismo acabam baixando o ritmo. Isso inclui o coração, que bate num compasso mais devagar, e os vasos sanguíneos, que ficam mais relaxados e sem aquela tensão que eleva a pressão arterial.

Outros benefícios da meditação na saúde e bem-estar incluem:

  • Aumentar o foco e a presença nas atividades, sejam elas de trabalho, estudos ou lazer;
  • Baixar o estresse, o que ajuda a lidar com as situações adversas do dia a dia. Um estudo publicado pela Universidade de Nova York, por exemplo, mostrou que a meditação diária diminui o estado negativo de humor e melhora a atenção e a memória;
  • Aliviar a irritabilidade, ou seja, você cria maior percepção das situações e ganha mais controle sobre suas emoções (em outras palavras, te ajuda a não perder a cabeça);
  • Melhorar a qualidade do sono. E as pesquisas já nos dizem que o sono é um dos grandes pilares da saúde física e mental;
  • Auxiliar na inteligência emocional em geral, já que promove maior sensação de pertencimento e de conexão com as situações e pessoas ao redor.

Meditação ajuda no controle da ansiedade?

Como a meditação atua no relaxamento e trabalha o foco nas sensações do momento presente, é possível vigiar os sinais de ansiedade e aprender a compreender os gatilhos que fazem com que apareçam.

É importante lembrar que os transtornos de ansiedade se diferem da ansiedade natural. A ansiedade comum é uma forma de a mente defender a nossa sobrevivência com pensamentos de alerta, como: “será que pegar estrada hoje, com todas as condições do clima, é uma boa decisão?”. Mas, quando as preocupações se tornam excessivas, surge o risco de ser um transtorno.

Apenas a meditação pode não ser o suficiente para tratar um quadro de ansiedade. Procurar orientação do time de saúde é essencial para alinhar o melhor caminho, que pode envolver medicamentos, terapia, atividades físicas etc.

Meditação ajuda a dormir melhor?

As práticas meditativas despertam relaxamento profundo. Há, inclusive, meditações guiadas para se preparar para dormir, uma boa ideia para quem está com problemas de sono. O ideal, no entanto, é que a meditação aconteça diariamente e com fluidez, sem esperar resultados pontuais e rápidos.

O Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos fez um compilado sobre pesquisas que atrelam meditação ao sono e mapeou muitos estudos que demonstram que há melhora na qualidade do sono com a prática rotineira de mindfulness.

Como começar a fazer meditação?

Agora que você já sabe um pouquinho mais sobre meditação, separe um período do dia em que se sinta mais tranquilo e disposto a treinar a mente. Segue um tutorial bem básico para você degustar. 

  • Encontre um local silencioso e confortável;
  • Adote uma postura que se sinta bem, pode ser de pernas cruzadas, ou até mesmo deitado no chão;
  • Esvazie a mente e se permita observar os pensamentos que passam por ela, sem julgamentos ou pressão;
  • Respire profundamente;
  • Relaxe o corpo de qualquer tensão nos músculos;
  • Foque na prática e esqueça dos compromissos.

No início, é normal a mente divagar, e não há problema nenhum nisso. Conforme você treina, a capacidade de concentração aumenta. Comece conforme seu tempo e sua capacidade: podem ser dois minutos, o importante é estar pleno e engajado na atividade.

Caso sinta dificuldade em praticar sozinho, pode procurar instrutores, aplicativos e até grupos de meditação. Mesmo que o começo seja difícil, não desista. A prática da meditação requer disciplina e muita repetição, mas os bons resultados são comprovados cientificamente.

e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Diabetes gestacional: causa, sintomas e riscos para o bebê

A hiperglicemia durante a gestação surge a partir de alterações hormonais, e pode provocar diversas complicações à saúde da gestante e do feto

Do rim à visão: veja 10 complicações causadas pelo diabetes

O diabetes é um grande problema de saúde pública, segundo o Atlas do Diabetes da Federação Internacional de Diabetes (IDF), de 2021....

 Pré-diabetes: o que é, quais são as causas e como prevenir

Cerca de 15 milhões de pessoas têm pré-diabetes no Brasil, segundo uma pesquisa do International Diabetes Federation. Pré-diabetes é o termo usado...

Diabetes tipo 1 e tipo 2: você sabe qual é a diferença?

Se você não é diabético, provavelmente conhece alguém que tenha diabetes. De acordo com o Atlas do Diabetes da Federação Internacional de...

Diabetes: saiba quais são as causas, sintomas e como tratar

O diabetes é efeito de uma baixa ou ausência de produção de insulina, causada por fatores genéticos ou hábitos de vida prejudiciais...
e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero
×