Início Artigos Como usar o convênio médico de forma consciente e reduzir os custos...

Como usar o convênio médico de forma consciente e reduzir os custos com saúde?

Autor

Data

Categoria

Considerado um dos benefícios mais valorizados por funcionários, o plano de saúde empresarial é também um dos maiores gastos de qualquer empresa: é o segundo colocado na lista de despesas, só ficando atrás da folha de pagamento.

Regras diferentes para reajuste e sinistralidade então entre as questões que tornam esse serviço tão caro – e, mesmo assim, considerado fundamental para reter e atrair talentos. Por isso, é fundamental que a empresa busque formas de equilibrar a promoção de bem-estar e os custos com saúde. 

Continue a leitura e entenda como boas práticas em prevenção de doenças e o estímulo do uso consciente do plano de saúde podem ajudar a reduzir os custos com esse benefício. Neste conteúdo, vamos tratar dos seguintes tópicos:

  1. Afinal, por que as soluções de saúde do mercado são tão caras? 
  2. Por que a promoção de boas práticas tem um bom ROI para a empresa?
  3. O que é o uso consciente dos recursos de saúde e como promovê-lo? 
  4. Por que a Sami é o parceiro ideal para promover mais saúde com menos custo?

Afinal, por que as soluções de saúde do mercado são tão caras? 

A resposta inclui alguns fatores que compõem o alto preço entre os planos de saúde empresariais. O primeiro deles é a forma de reajuste desse tipo de plano: diferente dos individuais e familiares, os planos empresariais e coletivos por adesão não tem o seu reajuste limitado pela ANS (Agência Nacional de Saúde)

Em consequência disso, algumas operadoras muitas vezes fixam aumentos bem acima da inflação no período, fazendo com que o valor dos planos de saúde dos colaboradores seja alto para a empresa.  

Em segundo lugar podemos citar a sinistralidade, que é a relação entre o número de vezes que um beneficiário acionou os serviços de saúde do plano e o valor pago pela empresa para a operadora. Quanto maior a frequência de uso, maior é o valor pago para a seguradora, encarecendo mais uma vez o serviço. 

Outros fatores que impactam de forma negativa os preços dos planos de saúde são:

  • A inflação dos serviços médicos, que costuma se manter acima da inflação média, aumentando os custos com saúde; 
  • Aumento na expectativa de vida média do brasileiro, que agora fica mais tempo no mercado de trabalho e usa mais os planos empresariais para cuidar da saúde;
  • A cultura nacional de incentivar várias consultas e procedimentos, muitas vezes desnecessários, como método de remuneração dos profissionais (chamado de Fee for service). 

Por que a promoção de boas práticas tem um bom ROI para a empresa?

Boas práticas dentro promoção do bem-estar e saúde engloba as seguintes frentes:

  • A promoção de hábitos de vida saudáveis;
  • O cuidado com a saúde feito de forma global e multidisciplinar;
  •  O acompanhamento do paciente por um médico de sua confiança, o chamado médico da família. 

Quando bem implementada, essa combinação tem impacto direto na redução de sinistros e, portanto, também é capaz de reduzir os custos com saúde pela empresa. É o que concluíram pesquisadores americanos em um artigo da revista Harvard Business Review. Nele, médicos que analisaram essa relação custo-benefício concluíram que, para cada dólar investido em prevenção, seis dólares foram poupados em serviços de saúde. 

Dentro do universo de ações que a área de recursos humanos pode incentivar pensando na promoção de saúde estão: 

  • Incentivar a prática de atividade física;
  • Estimular a busca por saúde mental e bem-estar;
  • Incentivar uma alimentação saudável;
  • Criar programas de manejo de estresse;
  • Incentivar a realização de exames de saúde preventivos.

Para saber se o investimento nessas ações está trazendo bons resultados, é preciso analisar o ROI, sigla em inglês para “return over investment” (ou “retorno sobre investimento”, em tradução livre). Esse índice é a forma pela qual podemos medir se o investimento está tendo um bom retorno para a empresa. 

Para calcular o ROI, você pode usar uma fórmula simples que consiste em: 

ROI = (Receita – Custo)/Custo

O que é o uso consciente dos recursos de saúde e como promovê-lo? 

Uma das formas de se reduzir os custos com plano de saúde é estimular o uso consciente e racional desse tipo de serviço. Isso significa usar o convênio médico para atendimentos, consultas e exames que sejam realmente necessários. 

Para promover o uso consciente do recurso, a área de Recursos Humanos pode optar pela modalidade de coparticipação. Nela, os custos do plano de saúde empresarial são divididos com o colaborador, mantendo a qualidade do plano se que o valor seja tão alto para ambos. 

Diante da alta dos preços, a coparticipação tem sido cada vez mais adotada pelas empresas. Uma pesquisa da consultoria Mercer Marsh Benefícios mostrou que, atualmente, 74% das empresas aderiram a essa modalidade. 

Por que a Sami é o parceiro ideal para promover mais saúde com menos custo?

Na Sami, acreditamos em acesso à saúde com um preço justo. Por isso, resolvemos abrir mão dos reajustes abusivos e nos comprometemos em fazer aumentos abaixo dos implementados por outras operadoras do mercado. Fizemos isso pois acreditamos que o empreendedor individual ou dono de um negócio não deve ter que trocar de plano de saúde todos os anos por causa de um reajuste alto demais para ser pago. 

Na Sami, cada pessoa tem acesso ao seu Time de Saúde, um grupo de profissionais da saúde especializados que irão acompanhar e cuidar de você do seu jeito, como você preferir. 

A rede de parceiros clínicos tem alta qualidade e inclui hospitais como BP – A Beneficência Portuguesa, Maternidade Izildinha e Labi. Ah, e se algo acontecer durante alguma viagem, também oferecemos um seguro-viagem para os membros.

Por fim, sabemos que a saúde humana vai muito além de consultas e exames. Por isso, a Sami criou a Rede de Hábitos Saudáveis, que inclui 1 ano de Gympass grátis e outros benefícios exclusivos para a sua saúde mental e o seu bem-estar. 

Dessa forma, ajudamos você a promover mais saúde dentro da sua empresa e a estimular o uso consciente do convênio médico, reduzindo os preços e tornando possível a manutenção desse serviço por muitos anos. 

Referências

e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Conheça as 10 doenças respiratórias mais comuns no inverno

Tempo seco, maior tempo de permanência em lugares fechados e redução da ventilação dos ambientes – principalmente para evitar os ventos fortes...

O impacto de um bom plano de saúde na experiência do colaborador

Como você deve imaginar, a experiência do colaborador com a sua empresa impacta diretamente na produção da sua demanda. Logo, no seu...

Bronquite, sinusite e rinite: tudo sobre as “ites” do inverno

Bronquite, sinusite e rinite: essas doenças provocam inflamações em diferentes partes do sistema respiratório e podem ser causadas por vírus, bactérias ou alergias.

Gripe e resfriado: descubra a diferença entre os dois

Apesar de as duas doenças afetarem o sistema respiratório e terem forte incidência no inverno, elas possuem sintomas com intensidades diferentes. Você...

Hipertensão: as causas e consequências da pressão alta

Já pensou que, neste exato momento, o seu organismo pode estar sendo prejudicado por uma doença silenciosa? No mundo todo, cerca de...
e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero
×