Início Plano de Saúde O que são as convenções coletivas de trabalho e qual a importância...

O que são as convenções coletivas de trabalho e qual a importância delas para o plano de saúde?

Autor

Data

Categoria

As convenções coletivas de trabalho (CCTs) estabelecem melhores condições de trabalho para os empregados e também proporcionam mais segurança jurídica para os empregadores. Além de permitir que o exercício de uma atividade seja ajustado às necessidades do contratante.

Continue a leitura para saber quais questões podem ser definidas pelas CCTs, quais não podem, como descobrir qual é a convenção da sua categoria e o que ela pode estabelecer sobre plano de saúde empresarial.

Procurando o melhor plano de saúde para o seu negócio? Vem pra Sami. Clique no botão abaixo e faça uma cotação.

O que são as convenções coletivas de trabalho?

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), no artigo 611, estabelece que a convenção coletiva de trabalho (CCT) é o acordo de caráter normativo pelo qual dois ou mais sindicatos representativos de categorias econômicas e profissionais estipulam condições de trabalho aplicáveis, no âmbito das respectivas representações, às relações individuais de trabalho.

Ou seja, a CCT é o acordo que resulta da negociação do sindicato que representa uma determinada categoria profissional de trabalhadores e o sindicato patronal que representa os empregadores de uma categoria econômica específica. O reconhecimento legal das convenções coletivas de trabalho é assegurado pela Constituição Federal, no inciso XXVI do artigo 7.

Imagem de dois homens de negócio apertando a mão.
Uma convenção coletiva de trabalho é o acordo que resulta de negociações entre sindicatos laborais e patronais.

Uma convenção coletiva de trabalho estabelece condições distintas de trabalho para uma determinada categoria profissional, podendo até alterar ou complementar o que a CLT prevê, pois está acima dela juridicamente. A CCT deve ser registrada no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho, disponível no site do Ministério do Trabalho na internet, e entra em vigor três dias depois disso.

Toda categoria profissional tem uma data-base, que é o período do ano em que é negociada a respectiva convenção coletiva de trabalho. Então, algum tempo antes, as reivindicações da classe são discutidas e definidas em assembleia no sindicato dela. Os pontos a serem estabelecidos pela CCT podem ser:

  • Questões econômicas – relacionadas à remuneração dos trabalhadores, como piso e reajuste salarial, valor de horas extras, gratificações etc.;
  • Questões sociais – como seguro de vida, abono de faltas, questões de higiene e de segurança no trabalho, garantia de emprego durante um período determinado de tempo etc.

Embora a convenção coletiva de trabalho possa completar ou modificar pontos da CLT, ela não pode alterar direitos garantidos aos trabalhadores pela Constituição Federal no artigo 7, por exemplo:

  • Fundo de garantia por tempo de serviço (FGTS);
  • Décimo-terceiro salário com base no valor do pagamento integral;
  • Direito à licença maternidade e paternidade pelo período estabelecido em lei;
  • Pagamento de hora extra com valor, pelo menos, 50% acima do que é pago dentro do horário normal de trabalho;
  • Férias anuais remuneradas com valor um terço maior, no mínimo, do que o salário normal.

A convenção coletiva de trabalho não vale somente para o trabalhador ou o empregador filiado a um sindicato. Mesmo que não seja e não pague contribuição sindical, o enquadramento é feito de forma automática. Portanto, a CCT se aplica da mesma maneira e o cumprimento dela é obrigatório.

Mas, atenção

Validade – as convenções coletivas de trabalho têm validade de até dois anos. Portanto, é necessária renová-la para garantir a continuidade do que tinha sido definido ou estabelecer novos termos.

Enquadramento sindical – trabalhadores só podem exigir que a empresa contratante cumpra a convenção coletiva de trabalho da categoria profissional deles se o sindicato patronal que representa a empresa tiver participado da negociação. Por exemplo:
Um vigilante empregado em um hospital não pode exigir que a instituição cumpra a CCT da categoria profissional dele se o sindicato patronal que representa o hospital não tiver participado da negociação.

Dissídio coletivo – quando as partes envolvidas na negociação da CCT não chegam a um acordo, pode ser ajuizada ação de dissídio coletivo na Justiça do Trabalho para solucionar o conflito.

Como descobrir a convenção coletiva de trabalho da minha categoria?

Trabalhadores e empregadores podem descobrir a convenção de trabalho relativa à categoria deles de duas formas.

A primeira é no sindicado que os representa, uma vez que tanto o sindicato da categoria profissional quanto o sindicato patronal da empresa participaram, obrigatoriamente, da definição da CCT, a assinaram e a registraram no Ministério do Trabalho.

Imagem de mulher profissional trabalhando em Macbook.
Uma maneira de descobrir a convenção coletiva de uma categoria é através do site do Ministério do Trabalho.

A segunda forma é pela internet, no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho disponível no site do Ministério do Trabalho, que oferece diferentes possibilidades de consulta para localizar a CCT:

Consulta básica – nela, você pode informar um parâmetro de pesquisa para localizar, mas não é possível utilizar mais de um ao mesmo tempo.

  • Número do registrado da CCT no Ministério do Trabalho;
  • Número do processo da CCT registrado;
  • Número da solicitação de registro, que é gerado pelo Sistema quando a CCT é inserida nele pela entidade responsável.

Consulta avançada – permite que você localize o instrumento coletivo desejado combinando vários parâmetros de pesquisa. Veja abaixo alguns desses parâmetros.

  • Algum dado de um participante – seja o CNPJ, a matrícula CEI ou a razão social de um dos sindicatos que participam da CCT. Só é possível usar um deles;
  • Categoria do instrumento coletivo – ou seja, a atividade vinculada diretamente a um sindicato participante da convenção coletiva de trabalho;
  • Tipo do instrumento coletivo – é possível marcar todos ou um específico, como acordo coletivo de trabalho, convenção coletiva de trabalho etc.;
  • UF de registro – é possível selecionar o estado do registro ou a Secretaria de Trabalho que efetuou o registro;
  • Período do registro – deve ser indicada uma data inicial e uma data final para ser pesquisado o intervalo de tempo correspondente;
  • Vigência – deve ser indicada uma data inicial e uma data final de vigência do instrumento coletivo para ser pesquisado o intervalo de tempo correspondente;
  • Abrangência – pode ser municipal, estadual, nacional, intermunicipal ou interestadual.

Consulta por filiação à entidade de grau superior – possibilita que você consulte os instrumentos coletivos celebrados por confederações e federações, bem como os celebrados pelas entidades filiadas a elas.

O que as convenções coletivas de trabalho falam sobre o plano de saúde?

O empregador não é obrigado a fornecer plano de saúde para os empregados, de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. Mas, quando conceder por vontade própria, não pode mais tirar o benefício, segundo o artigo 468 da CLT. Caso o empregador ofereça plano de saúde, mas não o custeie integralmente, o empregado tem que autorizar por escrito o desconto no salário.

Outra possibilidade para o empregador oferecer plano de saúde é quando a convenção coletiva de trabalho determina que ele faça isso. Nesse caso, a CCT pode até definir regras para uma eventual retirada do benefício.

  • Limite para o desconto do plano de saúde – embora não exista um limite legal especificamente para desconto do plano de saúde, a Lei 10.820, de 17/12/2003, e o Decreto 4,840, de 17/09/2003, estabelecem que valores descontados mensalmente do empregado não podem ultrapassar 30% do salário.

Plano de saúde empresarial é com a Sami

Com a Sami, você e os colaboradores do seu negócio tem acesso a saúde de qualidade com um preço justo.

Oferecemos plano de saúde para MEI e PJ a partir de 1 vida, na cidade de São Paulo, com preços a partir de R$ 172 por mês. No caso de viagens nacionais, nossos membros tem acesso a seguro viagem.

Cada um de nossos membros tem acesso ao seu próprio time de saúde, com médicos ou médicas e enfermeiros para fazer o cuidado coordenado da sua saúde junto com você. Nossa rede credenciada, nossos Parceiros Clínicos, inclui hospitais e laboratórios de qualidade como Beneficência Portuguesa, Maternidade Santa Izildinha e o laboratório Labi.

Acreditamos também que a saúde vai muito além de exames e procedimentos. Por isso, oferecemos nossa Rede de Hábitos Saudáveis, com Gympass e adicionais exclusivos como meditação guiada, yoga, exercícios de mindfulness e até terapia digital – tudo grátis, já incluído no plano.

Clique no botão abaixo e faça uma cotação.

Referências

e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Diabetes gestacional: causa, sintomas e riscos para o bebê

A hiperglicemia durante a gestação surge a partir de alterações hormonais, e pode provocar diversas complicações à saúde da gestante e do feto

Do rim à visão: veja 10 complicações causadas pelo diabetes

O diabetes é um grande problema de saúde pública, segundo o Atlas do Diabetes da Federação Internacional de Diabetes (IDF), de 2021....

 Pré-diabetes: o que é, quais são as causas e como prevenir

Cerca de 15 milhões de pessoas têm pré-diabetes no Brasil, segundo uma pesquisa do International Diabetes Federation. Pré-diabetes é o termo usado...

Diabetes tipo 1 e tipo 2: você sabe qual é a diferença?

Se você não é diabético, provavelmente conhece alguém que tenha diabetes. De acordo com o Atlas do Diabetes da Federação Internacional de...

Diabetes: saiba quais são as causas, sintomas e como tratar

O diabetes é efeito de uma baixa ou ausência de produção de insulina, causada por fatores genéticos ou hábitos de vida prejudiciais...
e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero
×