Início Saúde O que faz um(a) enfermeiro(a) na Atenção Primária à Saúde?

O que faz um(a) enfermeiro(a) na Atenção Primária à Saúde?

Autor

Data

Categoria

O curso de enfermagem é historicamente um dos mais procurados no Brasil, figurando constantemente entre os 10 primeiros nas buscas por uma graduação e constituição de carreira entre os estudantes brasileiros.

De acordo com o Programa Universidade Para Todos (Prouni) 2021, do Ministério da Educação (MEC), dos 10.821 cursos com oferta de bolsas de estudo por intermédio do programa, a enfermagem foi o terceiro com o maior número de inscritos.

No Brasil, o papel do profissional de enfermagem é fundamental para todo o contexto da saúde, mas tem ainda mais destaque quando falamos na Atenção Primária à Saúde.

Para entender mais sobre o assunto, nesse texto iremos entender o que é a Atenção Primária, qual o papel do enfermeiro no universo da medicina e como atenção básica e enfermaria estão correlacionadas.

Neste conteúdo, vamos falar sobre:

  1. O que é a Atenção Primária à Saúde?
  2. O papel do profissional de enfermagem nos hospitais
  3. A(o) enfermeira(o) e a Atenção Primária à Saúde
  4. A Sami é o plano de saúde que cuida de você de verdade através da Atenção Primária

O que é a Atenção Primária à Saúde?

A Atenção Primária é um modelo de sistema de saúde que tem como objetivo o desenvolvimento de um sistema universal e integrado de ação à saúde do paciente.

De acordo com a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB), que teve a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), por intermédio da Portaria nº 2.436, pode-se definir a atenção básica como:

“(…) um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrange a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação, a redução de danos e a manutenção da saúde com o objetivo de desenvolver uma atenção integral que impacte na situação de saúde e autonomia das pessoas e nos determinantes e condicionantes de saúde das coletividades.”

Ainda de acordo com essa portaria, a Atenção Básica à saúde deve ser “desenvolvida por meio de práticas de cuidado integrado e gestão qualificada, realizada com equipe multiprofissional e dirigida à população em território definido, sobre as quais as equipes assumem responsabilidade sanitária.”

A Atenção Básica tem como orientação alguns princípios pré-estabelecidos em lei. Preza-se na AB pela universalidade, acessibilidade, vínculo e continuidade, responsabilização, equidade, coordenação do cuidado, participação social e integralidade. Em tese, quando falamos em Atenção Básica estamos falando em humanização do atendimento ao paciente. 

Essa modalidade é desenvolvida por meio do exercício de práticas de cuidado e gestão, sob forma de trabalho em equipe (enfermeiros, médicos de família e especialistas), e direcionadas a populações de territórios definidos, pelas quais assume a responsabilidade sanitária. 

O papel do profissional de enfermagem nos hospitais

O enfermeiro tem papel-chave na promoção da saúde das pessoas. É o profissional que lida diretamente com o paciente e com seus familiares. O primeiro contato de um paciente que chega a um hospital, por exemplo, costuma ser com um enfermeiro. Será ele o responsável por realizar o processo de triagem e coletar as informações básicas necessárias para o médico.

Aferir a pressão, temperatura e fazer um questionamento prévio sobre o estado de saúde e eventuais problemas que a pessoa possa ter são só alguns dos cuidados que os enfermeiros têm com o paciente no primeiro contato deles no hospital.

Posteriormente, será papel do enfermeiro aplicar as medicações receitadas pelo médico ou ainda fazer alguns procedimentos clínicos, como coleta de sangue para exames, realização de curativos e organização do prontuário do paciente.

Os enfermeiros atuam em casos de baixa, média e alta complexidade. Estão presentes nas diversas áreas de um hospital, desde a interação até à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Podem trabalhar em hospitais, ambulatórios, equipes de resgate, clínicas, atendimento domiciliar e até em casas de repouso.

Ainda que o trabalho dele auxilie diretamente na função dos médicos, não se trata de um simples “facilitador” das obrigações desses  profissionais. São ações independentes e, ao mesmo tempo, integradas e com todo o corpo clínico. 

A(o) enfermeira(o) e a Atenção Primária à Saúde

Atenção Básica e Enfermagem possuem um denominador em comum: atendimento humanizado. Já é intrínseco ao enfermeiro a necessidade de ser um profissional com empatia, que saiba trabalhar em equipe e extremamente atencioso com o paciente. Sendo assim, ele se torna primordial na questão da atenção primária.

Sabendo que a Atenção Primária consiste em um conjunto de ações de saúde, tanto do âmbito individual como coletivo, que visa a promoção e proteção de saúde das pessoas, desenvolvida de forma descentralizada e com alto grau de capilaridade, entende-se o porquê de o enfermeiro ter papel-chave no bom desenvolvimento da atenção primária à saúde.

Quando um funcionário dessa área atua diretamente com a APS, ele acumula duas funções: assistencial e gerencial; voltada tanto para o indivíduo quanto para o coletivo. Justamente por isso,  trata-se de um informante-chave para a área da saúde e seu consequente desenvolvimento.

É um profissional polivalente no corpo clínico, capaz de atuar em várias áreas, e que sabe aliar o lado humano, solidário e cuidador com a experiência técnica desenvolvida na graduação e nas experiências práticas do trabalho — questões fundamentais para o bom desenvolvimento da atenção primária no País. 

Essa atuação vai desde o diagnóstico de enfermagem, passando pelo planejamento e implementação de estratégias de cuidado, promovendo a saúde e gerenciando os riscos de agravamento de possíveis situações, sempre com a constante avaliação e atualização destes, além do gerenciamento dos técnicos de enfermagem.

Para referência, quando olhamos do ponto de vista da saúde pública, a PNAB prevê algumas obrigações referentes ao enfermeiro na Atenção Básica à saúde. Destacam-se os seguintes itens:

I – Realizar atenção à saúde aos indivíduos e famílias cadastradas nas equipes e, quando indicado ou necessário, no domicílio e/ou nos demais espaços comunitários (escolas, associações etc.), em

todas as fases do desenvolvimento humano: infância, adolescência, idade adulta e terceira idade;

II – Realizar consulta de enfermagem, procedimentos, atividades em grupo e conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor federal, estadual, municipal ou do Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão, solicitar exames complementares, prescrever medicações e encaminhar, quando necessário, usuários a outros serviços;

III – Realizar atividades programadas e de atenção à demanda espontânea;

IV – Planejar, gerenciar e avaliar as ações desenvolvidas pelos ACS em conjunto com os outros membros da equipe;

V – Contribuir, participar e realizar atividades de educação permanente da equipe de enfermagem e outros membros da equipe; e Política Nacional de Atenção Básica;

VI – Participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da UBS.

A Sami é o plano de saúde que cuida de você de verdade através da Atenção Primária

Aqui na Sami temos a missão de oferecer saúde de qualidade por um preço justo. Por isso, nosso modelo é baseado na Atenção Primária e no Cuidado Coordenado a Saúde: cada membro tem acesso ao seu Time de Saúde, com médico pessoal e equipe de enfermagem que conhece você de verdade e cuida de você como um todo.

Nossa rede credenciada, os Parceiros Clínicos da Sami, inclui opções de hospitais, maternidades, laboratórios e clínicas de qualidade reconhecida, como Beneficência Portuguesa, Hospital Osvaldo Cruz (unidade Vergueiro), maternidades Santa Joana e Santa Izildinha, entre outros.

Além disso, oferecemos para nossos membros a nossa Rede de Hábitos Saudáveis, com o aplicativo de academias e exercícios Gympass e com o aplicativo de saúde mental Vitalk.

Tem interesse? Clique no botão abaixo e faça uma cotação. Nossos planos são para MEI e PJ a partir de 1 pessoa nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Taboão da Serra e no ABC.

Referências

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/periodicos/informe16.pdf

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/competencia_enfermeiro_atencao_basica_foco.pdf

https://www.scielo.br/j/rlae/a/DC6TjSkqnj7KhMQL4pkMS9f/?lang=pt&format=pdf#:~:text=Os%20enfermeiros%20da%20aten%C3%A7%C3%A3o%20b%C3%A1sica,profissionais(14%2C40).

https://aps.saude.gov.br/smp/smpoquee

https://www.scielo.br/j/ean/a/8QsxZbDLnCWWBN6zQVwjbxL/?lang=pt&format=pdf

Sami Plano de Saúde Empresarial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Como empreender com qualidade de vida?

Será que é possível conciliar empreendedorismo e qualidade de vida? Se por um lado ser dono do próprio negócio...

Acreditação hospitalar: o que é e qual a importância?

As expectativas do consumidor quanto à qualidade dos serviços de saúde são crescentes. Como forma de sinalizar ao público o compromisso com...

Plano de saúde para universitário: como escolher o melhor?

Será que vale a pena contratar um plano de saúde para universitário? Em meio a uma...

Relatório de sinistralidade: o que é e por que é importante para o seu negócio?

Quando uma empresa contrata um plano de saúde empresarial para seus funcionários, ela paga um valor mensal fixo, sejam os serviços usados...

Como lidar com o estresse como empreendedor?

Conviver com o estresse do empreendedor não é fácil, e quando os limites são ultrapassados, essa situação tende a provocar doenças como...
Sami Plano de Saúde Empresarial