Sami Plano de Saúde Empresarial
Início Imprensa Brazil Journal: Sami quer injetar eficiência nos planos de saúde

Brazil Journal: Sami quer injetar eficiência nos planos de saúde

Autor

Data

Categoria

A Matéria publicada pelo Brazil Journal em 01/07/20 fala sobre como a Sami quer injetar eficiência nos planos de saúde, confira.

Dois anos atrás, Vitor Asseituno perguntou ao vice-presidente de uma grande operadora de saúde por que ele não fazia uma campanha para engajar os pacientes diabéticos. A resposta: ‘porque eu não tenho o email nem telefone dele. Isso fica com a corretora, e o RH da empresa não manda’.

O diagnóstico de Vitor: “Os planos de saúde não sabem para onde ir porque eles não têm nem os dados básicos para isso. É uma coisa inacreditável.”


Vitor está tentando resolver as inúmeras distorções que amaldiçoam o setor de saúde suplementar com a Sami, uma startup que funciona como uma camada de inteligência para as operadoras e quer capturar um naco de um mercado de R$ 200 bilhões cujo faturamento cresce 20% ao ano.

Os problemas da saúde suplementar são conhecidos: a remuneração geralmente é baseada em volume, o que estimula exames e internações desnecessárias; falta investimento na prevenção das doenças; e o relacionamento dos usuários com as operadoras tem o mesmo calor humano daquele tio que você é obrigado a ver no Natal.

O resultado é uma inflação médica pornográfica, com reajustes que fazem o IPCA comer poeira — só nos últimos cinco anos, os planos empresariais foram reajustados em mais de 150%.

Diversas healthtechs estão tentando atacar partes do problema, mas a Sami — que recebeu seed capital da Redpoint eVentures e do Canary — se propõe a resolvê-lo por inteiro.

“O que fazemos é entender os problemas — em geral de incentivos, transparência e falta de prevenção — e buscar formas de corrigi-los usando tecnologia,” Vitor disse ao Brazil Journal.

Hoje, a Sami já faz esse trabalho para dois clientes, a Unimed e o Pátria, atendendo cerca de 200 mil vidas. Neste modelo, além de receber um fee por vida, a startup também tem uma remuneração atrelada aos resultados.

A Sami usa análise de dados para tornar a jornada dos pacientes mais eficiente, definindo, por exemplo, o melhor médico para cada necessidade com base em dados e KPIs. Depois, usa a telemedicina para fazer os atendimentos básicos — eliminando idas desnecessárias a clínicas e hospitais. E por fim, tenta melhorar a conduta dos médicos e hospitais mudando o sistema de incentivos e remuneração.

O grande benchmark da Sami é a Oscar Health, uma seguradora americana que já fatura US$ 2 bilhões, tem 420 mil usuários e foi avaliada em US$ 3,5 bilhões numa captação recente.

A Oscar é conhecida por seu UX impecável e uso intensivo de dados.nidos são os pacientes irem para o nível errado de atendimento, em geral mais caro do que seria necessário,” diz Alan Warren, que foi CTO da Oscar e hoje é sócio e conselheiro da Sami.

“A Oscar ajuda a guiar os clientes dentro desse sistema complexo, usando tecnologia intensiva e tornando todo o processo mais eficiente.”

Alan também trabalhou 12 anos na IBM e outros 12 no Google, onde foi responsável pela criação do Google Finance e das ferramentas de compartilhamento da empresa, como o Google Docs, Sheets e Drive. Na Sami, ele está envolvido na estratégia e no desenvolvimento de toda a parte de TI.

O fundador da 99, Paulo Veras, e Sérgio Ricardo, o ex-CEO de Amil, também são advisers e investidores da Sami.

A Sami está tentando criar um sistema que ajude também na prevenção das doenças, entendendo a rotina de seus clientes e interagindo com eles com a indicação de hábitos mais saudáveis.

“Só 10% do que determina a saúde das pessoas é o cuidado clínico (ter um bom hospital e um bom médico). O restante é comportamento e ambiente,” diz Vitor. “O problema é que os planos de saúde focam apenas nesses 10% — em ter uma boa rede credenciada.”

Os dois fundadores da Sami são empreendedores de segunda viagem. Vitor, que é médico formado pela UNIFESP, fundou uma empresa de eventos médicos que foi vendida em 2018 para a Informa Markets, uma gigante inglesa do setor. Já Guilherme Berardo é o dono da rede de hospitais Premium Care, pioneira no modelo de long-term care hospital no Brasil.

Sami Plano de Saúde Empresarial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

IT Forum 365: Healthtech Sami capta R$ 86 mi e quer ser o Nubank dos planos de saúde

Vitor Asseituno (na foto à esquerda) tinha acabado de vender sua empresa no setor de feiras de negócios, a Live Healthcare, e...

Startupi: Healthtech recebe aporte de R$ 86 milhões e se prepara para virar operadora de planos de saúde

A healthtech Sami anunciou hoje um novo aporte de R$ 86 milhões. O investimento foi coliderado pela Valor Capital Group e pela...

Exame: Com aporte de R$ 86 mi, startup Sami vira operadora de planos de saúde

A startup de saúde Sami, fundada em 2018, anuncia nesta terça-feira, 20, ter recebido um investimento de 86 milhões de reais, liderado...

CNN Brasil: Sami capta R$ 86 milhões e deve se tornar operadora de plano de saúde para PMEs

A healthtech Sami anunciou nesta terça-feira (20) que recebeu um aporte de R$ 86 milhões comandado pela Valor Capital Group e pela...

Neo Feed: Na onda das healthtechs, Sami recebe aporte R$ 86 milhões e cria plano de saúde

A pandemia do novo coronavírus colocou as healthtechs brasileiras na prateleira de cima dos investidores de venture capital. Tanto que, de janeiro...
Sami Plano de Saúde Empresarial