Início Saúde Dengue: veja os principais sintomas e como se proteger

Dengue: veja os principais sintomas e como se proteger

Autor

Data

Categoria

A dengue ainda é endêmica no Brasil, ou seja, está frequentemente presente entre a população. Isso acontece devido às condições climáticas e estruturais do país, que favorecem a proliferação do mosquito Aedes aegypti, principal transmissor da doença. Ao observar os registros de casos da dengue ao longo dos anos, o Instituto René Rachou (Fiocruz Minas) notou surtos epidêmicos da doença a cada 4 ou 5 anos. 

E isso é, possivelmente, o que estamos vivendo em 2022. Até o mês de abril, o país já registrou mais de 542 mil casos da doença, chegando ao mesmo patamar de casos notificados durante todo o ano de 2021 – que atingiu a marca de 544 mil casos. O momento requer atenção, considerando a gravidade da doença, que pode levar à morte.

Quer entender melhor o que é essa doença, como ela afeta o organismo e o que fazer para preveni-la? Confira abaixo os tópicos que iremos abordar e fique sabendo tudo sobre o assunto:

  1. O que é dengue?
  2. Quais são os sintomas da dengue?
  3. Quais são as fases da dengue?
  4. Quais são os tipos de dengue?
  5. O que é dengue hemorrágica? 
  6. Dengue mata?
  7. Qual é o tratamento para dengue?
  8. Como prevenir a dengue?
  9. Dengue é transmissível? 
  10. Qual a diferença entre dengue, chikungunya e zika vírus?

O que é dengue?

A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus, transmitida principalmente por mosquitos fêmeas da espécie Aedes aegypti. Fatores como clima úmido e chuvoso, temperaturas elevadas e urbanização rápida sem planejamento favorecem o desenvolvimento do mosquito transmissor e, consequentemente, aumentam o risco de contrair a doença.

Afinal, áreas e objetos com acúmulo de água são usados pelas fêmeas como depósitos de ovos – que eclodem em poucos minutos após o contato com a água -, e o calor acelera o desenvolvimento das larvas. Por causa disso, locais tropicais e subtropicais têm maior incidência da doença. 

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde, aproximadamente 500 milhões de pessoas que vivem nas Américas e quase metade da população mundial correm risco de contrair dengue. Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria revela ainda que cerca de 80% dos brasileiros vivem em regiões endêmicas da doença.

Quais são os sintomas da dengue?

Ao invadir o organismo, o vírus entra na corrente sanguínea e provoca um processo inflamatório que dá origem aos principais sintomas da dengue, como:

  • Febre alta;
  • Fortes dores de cabeça;
  • Náuseas e vômitos;
  • Manchas vermelhas na pele acompanhadas de coceira;
  • Dor atrás dos olhos;
  • Falta de apetite e paladar;
  • Dor nos ossos e nas articulações;
  • Moleza e cansaço extremo;
  • Tontura.

Eles aparecem, em média, de 3 a 15 dias após a picada. Mas, há a possibilidade de a doença ser assintomática – como também existem casos mais graves, que podem levar a óbito. Depois da primeira manifestação da doença, os sintomas tendem a durar por até 10 dias.

Quais são as fases da dengue? 

A dengue possui três fases: a febril, a crítica, e a de recuperação – todas com duração de 2 a 3 dias. A primeira fase tem início abrupto, marcada por quadros de febre de 39º a 40ºC, com náuseas, vômito, fraqueza, dor no corpo e manchas vermelhas.

Se, depois do estado febril, a doença não se encaminhar para um processo progressivo de cura espontânea, começa a fase crítica. Nesse momento, no lugar da febre alta, surgem complicações como dor intensa e contínua no abdômen, sangramento na gengiva e nariz, irritabilidade, tontura, vômito persistente e sonolência.

Na fase crítica, algumas pessoas –  principalmente crianças, idosos, gestantes e pessoas com diabetes ou hipertensão – podem desenvolver a dengue grave, caracterizada por desconfortos respiratórios, choque hemorrágico e comprometimento do sistema nervoso central, coração, pulmões, rins e fígado. Essa etapa da doença pode, inclusive, matar. 

Por fim, entre o 6º e o 8º dia, os infectados passam pela fase de recuperação, com reabsorção do líquido perdido durante as outras fases e redução gradativa dos sintomas.

Quais são os tipos de dengue?

O vírus causador da dengue pertence ao gênero Flavivírus, da família Flaviviridae. Ele possui quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Independentemente da variação, os sintomas da doença são os mesmos.

Entretanto, se uma pessoa contrair diferentes sorotipos e tiver mais de um quadro de dengue ao longo da vida, aumenta o risco de desenvolver a forma grave da doença, como a dengue hemorrágica.

O que é dengue hemorrágica?

Diferente da dengue comum (ou dengue clássica), que costuma entrar em recuperação logo após o estado febril ou passar pela fase crítica sem complicações, a dengue hemorrágica é grave e, se não tratada rapidamente, pode matar. 

Ela surge após uma pessoa infectada com o vírus da dengue – normalmente pela segunda ou terceira vez – sofrer alterações na coagulação sanguínea, ocasionando perda de líquidos e queda da pressão arterial, além de sintomas como:

  • Confusão mental;
  • Agitação;
  • Dificuldade de respirar;
  • Perda de consciência;
  • Boca seca e muita sede;
  • Pulso fraco;
  • Pele pálida, fria e úmida;
  • Hemorragia.

Uma grande queda ou ausência da pressão arterial também pode provocar a síndrome do choque da dengue. Essa é a complicação mais séria da doença, pois pode deixar sequelas neurológicas e cardiorrespiratórias, além de causar hemorragia digestiva, insuficiência hepática, derrame pleural e síndrome da angústia respiratória.

Dengue mata?

Sim. Como dito anteriormente, se uma pessoa for infectada mais de uma vez e apresentar os quadros graves da doença, a chance de óbito é alta. Por isso, é muito importante ficar atento aos primeiros sinais e procurar ajuda médica imediatamente. Afinal, seguir o tratamento de forma rápida e eficaz é o principal meio de sobreviver à dengue. 

Qual é o tratamento para dengue?

Antes de tratar é preciso, primeiro, diagnosticar. Além de observar os sintomas, são realizados exames de sangue e sorologia, teste de coagulação, contagem de plaquetas e raio-x do tórax, para verificar o acúmulo de líquido entre a caixa torácica e o pulmão.

Após o diagnóstico e ao avaliar se é um caso de dengue comum ou dengue hemorrágica e em qual fase a doença está, o médico irá definir o tratamento mais adequado.

Mas, de modo geral, o tratamento consiste em, basicamente, amenizar os sintomas da dengue – já que não existe um medicamento específico que possa destruir o vírus. Também é essencial manter repouso e tomar bastante líquido durante todo o processo para evitar desidratação.

É necessário, porém, tomar cuidado com os medicamentos utilizados para combater os sintomas, ainda que seja apenas uma suspeita de dengue. Afinal, existem algumas substâncias que podem agravar a doença e devem ser evitadas, como:

  • Ácido acetilsalicílico: presente na aspirina, possui efeito anticoagulante e pode estimular sangramentos.
  • Anti-inflamatórios não hormonais: como diclofenaco, ibuprofeno, nimesulida, piroxicam, etc. também podem aumentar as chances de sangramentos.

Os medicamentos indicados são:

  • Paracetamol: antitérmico que ajuda a aliviar as dores e a febre.
  • Dipirona: anti-inflamatório, antitérmico e analgésico com efeitos similares ao paracetamol.

Vale ressaltar que o tratamento deve ser sempre orientado por um profissional da saúde.

Como prevenir a dengue?

A melhor maneira de prevenir a dengue é por meio da vacinação. Até o momento, há somente uma vacina licenciada no Brasil, a Dengvaxia, que protege contra as quatro variações da doença. A vacina reduz em 93% a chance de desenvolver um quadro grave e em 80% a necessidade de hospitalização, além de reduzir em 66% o risco de contrair o vírus. Porém, seu uso é limitado e ela não é fornecida de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). 

Por isso, a forma mais comum de prevenir a dengue é seguir alguns cuidados domésticos que evitam o aparecimento e a proliferação do mosquito. Veja quais são eles:

  • Evitar acúmulo de água, deixando garrafas, baldes, vasos e outros objetos que conseguem armazenar água com a boca para baixo;
  • Colocar proteção contra mosquitos nas portas e janelas;
  • Colocar areia nos vasos de plantas;
  • Descartar o lixo adequadamente;
  • Limpar os ralos com desinfetantes;
  • Manter as calhas sempre limpas;
  • Higienizar piscinas, aquários e lagos caseiros com frequência;
  • Utilizar repelente.

Dengue é transmissível?

A dengue não é transmitida pelo contato com alguém infectado. A contaminação acontece através da picada do Aedes aegypti infectado. Afinal, o mosquito não nasce com o vírus, ele o contrai ao picar uma pessoa contaminada. E cerca de 10 dias depois da infecção, o inseto já está apto para transmitir a doença para outras pessoas.

Qual a diferença entre dengue, chikungunya e zika vírus?

Apesar de todas provocarem febre e serem transmitidas pelo Aedes aegypti, cada uma afeta o organismo de um jeito diferente, causando alguns sintomas específicos. Na dengue, por exemplo, a febre e a dor no corpo são mais fortes e o risco de morte é maior. 

Já o diferencial da chikungunya é a dor intensa e inchaço nas articulações, que podem durar por meses. Enquanto isso, o zika vírus é o que possui os sintomas mais leves, como manchas e erupções na pele, coceira e olhos vermelhos. 

e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

Conheça as 10 doenças respiratórias mais comuns no inverno

Tempo seco, maior tempo de permanência em lugares fechados e redução da ventilação dos ambientes – principalmente para evitar os ventos fortes...

O impacto de um bom plano de saúde na experiência do colaborador

Como você deve imaginar, a experiência do colaborador com a sua empresa impacta diretamente na produção da sua demanda. Logo, no seu...

Bronquite, sinusite e rinite: tudo sobre as “ites” do inverno

Bronquite, sinusite e rinite: essas doenças provocam inflamações em diferentes partes do sistema respiratório e podem ser causadas por vírus, bactérias ou alergias.

Gripe e resfriado: descubra a diferença entre os dois

Apesar de as duas doenças afetarem o sistema respiratório e terem forte incidência no inverno, elas possuem sintomas com intensidades diferentes. Você...

Hipertensão: as causas e consequências da pressão alta

Já pensou que, neste exato momento, o seu organismo pode estar sendo prejudicado por uma doença silenciosa? No mundo todo, cerca de...
e-book Como estruturar uma política de plano de saúde para sua empresa do zero
×