Início Saúde O que é medicina baseada em evidências?

O que é medicina baseada em evidências?

Autor

Data

Categoria

A medicina baseada em evidências é um concviteito que dita a forma com que médicos realizam atendimentos e práticas de saúde, inclusive nas redes dos planos de saúde. Afinal, já parou para pensar como é processo de tomada de decisão por parte dos profissionais de saúde que cuidam de você nos consultórios ou em emergências?

Continue a leitura a saiba mais sobre: 

  1. Como surgiu a medicina baseada em evidências?
  2. Como a medicina baseada em evidências é praticada?
  3. Quais as vantagens da medicina baseada em evidências?
  4. Procurando um bom plano de saúde? Vem pra Sami

Como surgiu a medicina baseada em evidências?

Existem inúmeras estratégias e etapas que constituem o atendimento, diagnóstico e tratamento médico. Quando pensamos na área da saúde, parece óbvio constatar que evidências científicas são essenciais dentro desse processo. No entanto, o que acontece pode não ser tão transparente e rigoroso quanto imaginamos. Algumas vezes, são tomados como referência:

  • Experiências prévias;
  • Conselhos de colegas;
  • Literatura científica de baixa relevância e validação.

Isso significa que existe uma variedade de caminhos que podem ser seguidos – desde o diagnóstico ao tratamento – dependendo do país, região, hospital e profissional, mesmo que existam evidências que apontem para alguma outra abordagem mais benéfica. 

Ao pensar em uma abordagem mais sistemática é que surgiu a medicina baseada em evidências (MBE). O termo foi dado pelo epidemiologista e clínico norte-americano David Sackett, na década de 1980, e surgiu a partir de uma articulação em busca de mudanças na formação profissional

Com a intenção de aumentar a eficiência e qualidade dos serviços prestados, Sackett, ao lado do também epidemiologista Archibald Cochrane, defenderam a importância das evidências científicas na tomada de decisão sobre o cuidado de pacientes, que eram envolvidos na discussão, tendo suas próprias preferências levadas em consideração para o tratamento. 

Como a medicina baseada em evidências é praticada?

De forma resumida, a medicina baseada em evidências é uma integração entre dados relevantes de evidências científicas e as relações sociais do paciente, que também cumprem um papel importante no tratamento. Para isso, a comunidade médica precisa dominar não só o atendimento prático diário, mas também ter conhecimentos epidemiológicos e bioestatísticos, necessários para interpretar materiais de referência. 

Por mais que a literatura científica esteja intrínseca à medicina baseada em evidências, isso não quer dizer que o profissional da saúde deva atender com livros e artigos abertos o tempo todo. Muitas das práticas diárias, principalmente em primeiros atendimentos ou emergências, já acontecem embasadas pelo que se acredita ser o melhor caminho.

A aplicação da MBE costuma envolver quatro principais etapas, entre atendimento, diagnóstico e tratamento:

  • Formulação de uma questão clínica;
  • Busca por evidências científicas que respondam à questão;
  • Avaliação das evidências;
  • Tomada de decisão.

Saiba mais sobre cada uma delas a seguir.

Etapa 1 – Formulação de uma questão clínica

Quando nos queixamos aos médicos, eles precisam avaliar os sinais e sintomas relatados e chegar a um diagnóstico – e nesse ponto questiona-se qual a melhor forma de fazer isso. Para decidir entre as muitas opções de exames disponíveis que podem cobrir uma quantidade ainda maior de possíveis doenças, por exemplo, o médico formula uma questão clínica que vai servir como base para a pesquisa dele.

Essa questão deve ser específica, para que chegue a uma resposta assertiva, e conter os seguintes pontos:

  • Informações do perfil do paciente;
  • Intervenção desejada;
  • Comparação a outra abordagem;
  • Resultados.

Um exemplo de formulação de questão clínica na medicina baseada em evidência pode ser: 

  • “Para diagnóstico de perfuração interna em um paciente homem, em estado estável, que sofreu um acidente de carro, é preferível uma laparoscopia exploratória ou observação?”.

Etapa 2 – Busca por evidências científicas

Depois de decidida a base da pesquisa, é preciso buscar as evidências científicas que vão embasar o melhor caminho a ser tomado no diagnóstico e tratamento. Para isso, é preciso consultar bancos de dados científicos padrão universais, tais como o SCIELO, MEDLINE, Cochrane Collaboration ou ACP Journal Club, além de publicações médicas e observatórios.

Etapa 3 – Avaliação das evidências científicas

Existem infinitos estudos e artigos científicos publicados, mas nem todos têm o mesmo valor e legitimidade. Dependendo da metodologia, a qualidade e validade dos dados apresentados em uma evidência podem variar. Os níveis de evidência são graduados de 1 a 5, sendo o nível 1 o mais alto – que diz respeito a dados que passaram por revisões sistemáticas ou análises de ensaios clínicos randomizados e de alta qualidade.

Quanto mais forte for a evidência, menor é a chance de erro. Para a análise da medicina baseada em evidências existe uma preferência por dados que sejam referentes às graduações mais altas, no entanto isso nem sempre é possível. Isso não quer dizer que evidências de menor qualidade não possam seguidas, elas precisam apenas de mais atenção e consciência de que possuem força de conclusão menor.

Etapa 4 – Tomada de decisão

O próximo passo é a decisão de como aplicar a evidência científica no tratamento do paciente. Mesmo que os dados indiquem que há uma melhor decisão a ser tomada, ainda é levada em consideração a opinião do paciente e seus desejos, pois a humanização do atendimento e a construção de uma boa relação médico-paciente são peças chave no conceito da MBE.

Exemplo disso são situações de doenças terminais, em que o paciente deve poder escolher entre um tratamento agressivo, que pode trazer mais tempo de sobrevida, ou cuidados paliativos que lhe proporcionem maior conforto e qualidade de vida.

Idealmente, as quatro etapas devem ser utilizadas na tomada de decisão na maioria dos casos, mas há limitações na aplicação da medicina baseada em evidências pois requer muito tempo de dedicação para cada paciente e nem sempre as questões levantadas são encontradas na literatura.

Quais as vantagens da medicina baseada em evidências?

Mesmo com a dificuldade da abordagem, a medicina baseada em evidências traz benefícios inegáveis à prática de clínica médica:

Maior perspectiva de acerto no diagnóstico e tratamento de doenças – por existir uma base bem fundamentada na hora de tomar uma decisão e seguir por um caminho seguro e comprovado, tanto o médico quanto o paciente se sentem mais confiantes. 

Respeito pelo paciente – que também é responsável pela decisão final. Essa integração das evidências científicas e das relações sociais é uma combinação de cura e cuidado, o que contribui muito para a recuperação do paciente.

Enriquecimento das profissões da área da saúde – apesar de ser uma prática da medicina, a cultura de incentivar a pesquisa que a MBE proporciona incentiva que outras áreas da saúde padronizem as abordagens de cuidado. 

Procurando um bom plano de saúde? Vem pra Sami

A Sami nasceu para ser sua aliada na saúde, com tratamento proativo e preventivo. Com os nossos planos você tem rede médica de referência e seu próprio Time de Saúde sem susto no bolso.

Com um plano da Sami, você conta com:

  • Time de Saúde: Composto por médico, enfermeiro e coordenador de saúde, uma equipe que te conhece e está sempre a postos para te ajudar no que for preciso. E você escolhe: atendimento presencial ou por telemedicina;
  • Atendimentos de emergência e internação: pronto-socorro adulto e infantil em hospitais de padrão internacional. No caso de internação, você tem opções de quarto individual ou coletivo;
  • Rede credenciada de alto nível: contamos com hospitais como Beneficência Portuguesa, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, laboratórios Lavoisier e muitos outros;
  • Sem reembolsos e coparticipação: você sabe sempre o quanto vai pagar no seu plano;
  • Rede de Hábitos Saudáveis: porque saúde vai muito além dos cuidados clínicos. Nela você conta com o Gympass grátis por tempo limitado, tendo acesso a mais de 9 mil academias e 27 apps de bem-estar, nutrição e meditação, além de sessões com personal trainer, e com outros benefícios exclusivos para a sua saúde mental e o seu bem-estar.

Com a Sami, você tem muito mais que um plano – e o melhor, cabe tudo no seu bolso! Veja essa simulação que fizemos abaixo:

Quer fazer parte dessa revolução na saúde? Vem pra Sami! Clique no botão abaixo e faça uma cotação.

Referências

Ei, RH! Quer economizar até30% no plano da sua empresa?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

4 dicas para cuidar da saúde mental feminina no trabalho remoto

Dupla jornada, responsabilidades com a vida familiar e salário desigual são alguns dos motivos que levam a diagnósticos de distúrbios relacionados à...

Obesidade sem tabu ou gordofobia: tudo que precisamos saber

Em 4 de março é celebrado o dia mundial da obesidade, instituído pela OMS para conscientizar a todos sobre os riscos de...

IMC: entenda as faixas e o peso ideal

O Índice de Massa Corporal (IMC) é uma ferramenta utilizada na área da saúde para avaliar a relação entre peso e altura de uma pessoa e, assim, classificar seu estado nutricional em categorias.

Etarismo: o que é, impactos na vida do idoso e a importância da pirâmide etária

o etarismo se refere a estereótipos, preconceitos e discriminação direcionada às pessoas com base na idade que elas têm.

Pluralidade cultural: o papel do pluralismo nas empresas

A pluralidade é um tema importante nos dias atuais, onde as fronteiras entre as nações se tornam cada vez mais fluidas e o mundo cada vez mais globalizado.
Ei, RH!Já conhece o planode saúde com foco emretenção de talentos?
×