Início Artigos Tudo sobre sexismo: o que é e como combater

Tudo sobre sexismo: o que é e como combater

Autor

Data

Categoria

Você já deve ter ouvido falar sobre sexismo. O tema tem ganhado notoriedade em diversos debates de cunho social e movimentos importantes têm surgido, ganhando força pelo mundo.

No entanto, a definição do sexismo ainda não é clara para muita gente, apesar de ser extremamente importante. Pensando nisso, elaboramos um guia sobre sexismo para você entender seu conceito, problemas e ter forças para combatê-lo.

  1. O que é sexismo?
  2. Preconceito de gênero e o ambiente de trabalho
  3. Como identificar comportamentos sexistas?
  4. O que é equidade de gênero?
  5. Como combater o sexismo?

O que é sexismo?

Basicamente, o sexismo é uma discriminação, uma forma de preconceito contra um gênero, que geralmente acontece com mulheres. É bem provável que você já tenha presenciado uma situação em que uma mulher é diminuída apenas por ser mulher. Esse tipo de preconceito se enquadra no sexismo.

Comum em uma sociedade prevalentemente machista, o sexismo acontece em lugares onde o gênero fala mais alto que a humanidade. “Você não pode ser líder por ser mulher” ou “mulheres são boas para trabalhos domésticos”, são frases que mulheres costumam ouvir e se enquadram no preconceito.

Mesmo parecendo absurdas, não é preciso ir muito longe para ouvir esse tipo de preconceito. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), no Brasil 89,50% das pessoas têm pelo menos um preconceito relacionado a mulheres.

Não é de hoje que mulheres lutam por espaço: por meio de movimentos sociais, elas conseguiram o direito ao voto, o de trabalhar exercendo qualquer profissão, o de estudar, adquirir bens e muitas outras coisas. Mesmo com as conquistas, ainda existem desigualdades.

É importante entender que o sexismo é qualquer preconceito relativo ao gênero, que considera um gênero superior ou inferior para exercer qualquer atividade, por exemplo. O sexismo é uma maneira de discriminar alguém pelo sexo ou gênero.

Portanto, não somente homens cometem o sexismo. Muitas vezes, mulheres acabam sendo sexistas sem perceber, por exemplo: “azul é cor de menino e rosa de menina”; “essa profissão é para homem”, “mulheres precisam ser delicadas” e por aí vai.

Infelizmente vivemos em uma sociedade sexista. Para se ter uma ideia, em nenhum lugar do mundo as mulheres ganham mais que homens, de acordo com uma pesquisa realizada pela American Association of University Women (AAUW), mesmo com a mesma escolaridade e educação. https://www.aauw.org/resources/research/simple-truth/

Preconceito de gênero e o ambiente de trabalho

Preconceito e desigualdade de gênero é estudado pela sociologia há muito tempo e geralmente acontece no âmbito profissional. Como vimos acima, é comum (apesar de não ser correto) o gênero feminino receber menos que um trabalhador masculino com as mesmas qualificações.

Outro preconceito de gênero comum é dentro do ambiente familiar, onde muitas mulheres são subordinadas aos homens nos serviços domésticos apenas por serem mulheres.

Para algumas instituições internacionais, a igualdade de gênero faz parte da luta relacionada aos direitos humanos. No Brasil, esse preconceito ainda faz parte de muitas realidades. Em uma pesquisa do Fórum Econômico Mundial, o Brasil ficou em 90° lugar no ranking das desigualdades entre homens e mulheres em 144 países.

Como identificar comportamentos sexistas?

Os comportamentos sexistas são baseados na discriminação de gênero e podem ser repetidos tanto por homens quanto por mulheres. Ao contrário do que muitos pensam, transfobia, femismo e LGBTQIA+fobia também podem ser considerados comportamentos sexistas tanto quanto o machismo.

Ainda é comum observarmos esse tipo de comportamento em redes sociais e comerciais de TV. Por exemplo, um comercial de cerveja geralmente é acompanhado por uma mulher sensualizando. Já percebeu?

Em relacionamentos, o comportamento sexista também está bastante presente. É comum imaginar que sempre um domina a relação enquanto o outro é dominado. Pensar, ainda, que certa tarefa é responsabilidade apenas de um, como arrumar a casa.

Esses comportamentos perpetuam na criação dos filhos. Muitos pais continuam criando seus filhos por meio do sexismo: apenas o menino joga futebol e a menina faz balé.

O que é equidade de gênero?

Quando nos referimos a uma mulher pelo gênero, por exemplo, estamos falando sobre como uma pessoa se identifica, independente do sexo biológico. Diferente do sexismo, que costuma ignorar as características pessoais de cada um, a equidade de gênero valoriza as diferenças de uma pessoa ou grupo.

Ou seja, a equidade de gênero busca tratar todos da mesma maneira e de acordo com as suas características pessoais. Além disso, a equidade de gênero luta para que todos tenham a mesma oportunidade e direitos.

Por isso, para conquistar uma sociedade igualitária, primeiro é preciso combater o sexismo, pois é ele quem impossibilita a equidade. 

Como combater o sexismo?

Antes de combatê-lo, precisamos identificar onde e quando acontece o sexismo. Para isso, selecionamos algumas situações comuns do dia a dia que podem passar despercebidas. Vamos lá?

Na educação

É comum, no período escolar, meninas serem separadas dos meninos na hora das brincadeiras. Geralmente, meninos podem brincar de algo mais “bruto” e meninas com brincadeiras mais amenas. Em esportes ainda é comum apenas meninos serem chamados para jogar futebol, por exemplo.

Como combater: que tal incentivar meninas nos esportes da mesma forma que incentivamos os meninos? Além disso, por que não misturar as brincadeiras?

No mercado de trabalho

Como vimos, o mercado de trabalho ainda é bastante sexista. Mulheres continuam recebendo menos que homens. A equiparação salarial ainda é um objetivo que está longe de ser alcançado.

Como combater: é importante lutar pela equiparação de gênero em pautas sociais e votar em representantes que apoiam essa luta.

No trabalho doméstico

De acordo com o IBGE, as mulheres desempenham 10h a mais na função doméstica se comparado aos homens. Com isso, vemos que a maior parte dos lares ainda tem tarefas realizadas somente por mulheres.

Como combater: homens precisam entender que também são necessários e fundamentais nas tarefas domésticas. Isso precisa acontecer desde a criação das crianças, onde as tarefas devem ser divididas igualmente entre todos, independente do gênero.

Na liderança

A maioria das lideranças em empresas, não importa o segmento, são ocupadas por homens.

Como combater: promover liderança de mulheres nas empresas é o caminho. Oferecer mais oportunidades e mudar a cultura da empresa é crucial para engajar mais mulheres na liderança.

No comportamento

Quantas vezes você já presenciou alguém inibindo uma mulher apenas por ser mulher? Piadas sexistas estão presentes em diversos lugares, mas se concentram principalmente no trabalho. Geralmente, afirmam que mulheres são mais dramáticas, carentes, loucas, e por aí vai.

Como combater: divulgue conteúdos que falem sobre a importância da equidade de gênero. Além disso, repreenda atitudes que são vistas como sexistas, mesmo que sejam piadas. 

O Conselho da Europa promoveu um guia visual sobre o sexismo e como combatê-lo. Além disso, traz um teste de autoconhecimento sobre o tema. Confira: https://human-rights-channel.coe.int/stop-sexism-pt.html

Ei, RH! Quer economizar até30% no plano da sua empresa?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Recentes

IMC: entenda as faixas e o peso ideal

O Índice de Massa Corporal (IMC) é uma ferramenta utilizada na área da saúde para avaliar a relação entre peso e altura de uma pessoa e, assim, classificar seu estado nutricional em categorias.

Etarismo: o que é, impactos na vida do idoso e a importância da pirâmide etária

o etarismo se refere a estereótipos, preconceitos e discriminação direcionada às pessoas com base na idade que elas têm.

Pluralidade cultural: o papel do pluralismo nas empresas

A pluralidade é um tema importante nos dias atuais, onde as fronteiras entre as nações se tornam cada vez mais fluidas e o mundo cada vez mais globalizado.

O que é ambidestria organizacional e quais são os benefícios

A ambidestria organizacional é uma abordagem que tem como objetivo equilibrar-se em dois focos sem perder a eficiência de suas operações.

Mundo BANI: o que é e como ele impacta a sua empresa

O BANI é uma maneira mais assertiva de enquadrar e entender o estado do mundo atual. Ao contrário do que muitos pensam, o mundo BANI não surgiu após a pandemia da Covid-19.
Ei, RH!Já conhece o planode saúde com foco emretenção de talentos?
×